'Foi uma ação audaciosa', diz secretário da PM sobre ataques em Botucatu

Secretário-executivo da PM de São Paulo, coronel Álvaro Camilo explicou que criminosos tiveram informações antecipadas de bancos alvos de ataque

Da CNN
30 de julho de 2020 às 14:29

Ao menos três agências bancárias foram atacadas por criminosos na cidade de Botucatu, a cerca de 175 quilômetros de São paulo. As ações, que começaram por volta das 23h30 de quarta-feira, duraram cerca de três horas e incluíram trocas de tiros com a polícia.

Em entrevista à CNN, o secretário-executivo da PM de São Paulo, coronel Álvaro Camilo explicou que os suspeitos tiveram acesso às informações dos bancos antecipadamente.

"Foi uma ação muito audaciosa e de madrugada. Mas a polícia foi bem presente junto com os batalhoões das regiões vizinhas. Infelizmente, dois confrontos aconteceram de imediato. Agora será iniciado um processo de investigação para que seja possível chegar a esta quadrilha. Foram apreendidas sete fuzis, cinco veículos, uma metralhadora e uma arma de calibre .50. A polícia continua na região procurando pelos criminosos", explicou. 

Leia também:

'Tiros duraram das 23h às 3h da manhã', diz morador de Botucatu sobre ataques

'Tinham armamento poderoso', diz porta-voz da PM sobre tiroteio em Botucatu

"É uma ação do crime organizado e que estudaram com antencedência. Para fazer frente a isso agora, o governo do Estado está desenvolvendo os Batalhões de Ações Especiais. Teremos um batalhão em cada área do Estado Uma a delegacia de investigações criminais regionais para também policiar o crime organizado", afirmou.

(Edição: Leonardo Lellis)