Wilson Lima é o 12° governador brasileiro a testar positivo para Covid-19

Em mensagem publicada em sua conta no Twitter, Lima informou que está bem e que seguirá trabalhando de casa.

Giulia Pereira*, da CNN, em São Paulo
13 de agosto de 2020 às 18:54

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), confirmou nesta quinta-feira (13) que testou positivo para o novo coronavírus. Em mensagem publicada em sua conta no Twitter, Lima informou que está bem e que seguirá trabalhando de casa.

“Seguindo a linha direta de diálogo que mantenho com vocês por aqui, comunico que hoje testei positivo para a Covid-19. Estou bem e seguirei trabalhando de casa”, disse. Ele também reforçou a necessidade de usar máscara de proteção, álcool gel, e praticar o distanciamento social para evitar a disseminação da doença. O Amazonas registra, até o momento, 108.920 casos confirmados e 3.417 mortos pelo novo coronavírus.

Leia também

Máscaras gigantes para alunos do AM viralizam; Secretaria diz que serão trocadas

ANS determina cobertura de teste sorológico de Covid-19 por planos de saúde

Messer delatou procurador da Lava Jato por pagamento de propina

O Governador do Amazonas Wilson Lima conversa com a CNN sobre o crescente número de casos da COVID-19 no estado
Foto: Reprodução / CNN

Wilson Lima é o 12° governador brasileiro a testar positivo para a doença. Recentemente, um processo de impeachment contra ele e seu vice, Carlos Almeida (PTB) foi arquivado na Assembleia Legislativa do Amazonas. Uma investigação apontava uma suposta participação de ambos em compras superfaturadas de respiradores, direcionamento na contratação de empresas e lavagem de dinheiro.

Além de Lima, já testaram positivo para o coronavírus os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC); do Pará, Helder Barbalho (MDB); de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB); de Alagoas, Renan Filho (MDB); de Roraima, Antonio Denarium (sem partido); do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB); do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM); de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL); de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e de São Paulo, João Doria (PSDB).

(*sob supervisão de Evelyne Lorenzetti)