Atendimentos de casos de violência doméstica no Rio crescem 52% na pandemia

Somente até julho, 1.500 mulheres denunciaram maus tratos e agressões

Lucas Janone e Camile Couto, da CNN no Rio
18 de agosto de 2020 às 16:22
Violência doméstica aumenta durante quarentena no estado de São Paulo
Foto: Pixbay

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) registrou um número recorde de atendimentos a vítimas de violência doméstica durante a pandemia do novo coronavírus.

Somente até julho, 1.500 mulheres denunciaram maus tratos e agressões. Já no ano passado inteiro, 1.963 boletins de ocorrência foram feitos. O valor representa um aumento de 52%.

Leia mais:
Tio de menina estuprada confessou crime informalmente, diz Polícia Civil
Lei Maria da Penha completa 14 anos com alta de feminicídios na pandemia

Os números apresentados em 2020 representam o pior cenário desde a criação da Central Judiciária de Acolhimento da Mulher Vítima de Violência Doméstica (Cejuvida), que atua desde 2010. Do número total de mulheres atendidas de janeiro a julho, 26 foram encaminhadas aos abrigos.  

“A central presta um serviço de extrema importância para o enfrentamento da violência contra a mulher, disponibilizando fora do horário do expediente forense acolhimento humanizado e reservado às vítimas e seus dependentes”, afirmou a juíza Katerine Nygaard, da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Coem).