Estudo no Brasil também deve ser retomado, diz instituição responsável por teste


Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
12 de setembro de 2020 às 11:26 | Atualizado 12 de setembro de 2020 às 17:37
 

Técnicos do Ministério da Saúde ansiavam para que a questão fosse resolvida dentro de alguns dias, o que de fato ocorreu.

A previsão de iniciar a vacinação no Brasil em janeiro de 2021 continua a ser considerada pelo Ministério da Saúde, de acordo com auxiliares do ministro Eduardo Pazuello.

Leia e assista também:
Universidade de Oxford retoma testes de vacina contra a Covid-19
Anvisa espera anuência de órgão inglês para retomar testes da vacina de Oxford
AstraZeneca suspende teste de vacina da Covid-19 após voluntário ficar doente

No Brasil, os testes clínicos são de responsabilidade da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O estudo que envolve 5 mil participantes também deve ser retomado no Brasil. De acordo com a instuição, a liberação no Brasil depende agora da Anvisa e do Comitê Nacional de Ética e Pesquisa (Conep), de acordo com comunicado da universidade. "Até o momento, 4 mil e 600 voluntários já foram recrutados e vacinados sem qualquer registro de intecorrencias graves de saúde", afirma a Unifesp em nota. 

A Universidade também observa que os testes foram interrompidos após o registro de reações adversas em um dos voluntários no exterior, o que ainda não foi esclarecido. "É importante ressaltar que não se pode divulgar informações médicas sobre a doença por razões de confidencialidade dos participantes", afirma.

A Anvisa está reunida neste momento e a decisão deve sair neste sábado.