Enem seriado: veja o que muda na aplicação das provas e obtenção das notas


Jéssica Otoboni, da CNN, em São Paulo
16 de setembro de 2020 às 10:42
Vestibular da Fuvest

Novo Enem seriado será mais uma forma de os estudantes poderem ingressar no ensino superior

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nessa terça-feira (15) alguns detalhes das mudanças com relação ao Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o novo Enem seriado.

As medidas foram anunciadas em maio (sem muitos detalhes), em uma portaria do Ministério da Educação (MEC) – na época, comandado pelo ministro Abraham Weintraub –, como mecanismos “alternativos ou complementares” para o ingresso no ensino superior.

Assista e leia também:
Enem 2020 será impresso em gráfica onde prova vazou em 2009
Adiamento do Enem pode gerar 'apagão' de mão de obra qualificada, diz pesquisa
Por calendário, Unicamp não vai usar Enem como processo seletivo em 2021

Para a pasta, as alterações no Saeb foram estabelecidas com o objetivo de “aumentar o campo de atuação na redução das desigualdades e cumprir a principal diretriz da atual gestão do MEC: foco na educação básica”.

O que é o novo Enem seriado?

Segundo o MEC, é mais uma forma de entrar no ensino superior. Essas avaliações farão parte do novo Saeb.

Quando ele começará a ser aplicado?

Em 2021, para os alunos do 1º ano do ensino médio das redes pública e privada de ensino. Para os alunos do ensino fundamental, o Inep ainda não divulgou datas.

O que muda com o novo Enem seriado?

As provas aplicadas anualmente aos alunos do ensino médio vão compor uma nota a partir da pontuação adquirida em cada uma das três séries. A pontuação obtida poderá ser utilizada para entrar no ensino superior. 

Os estudantes do 1º ano do ensino médio que fizerem a prova em 2021 já estarão concorrendo a vagas em universidades para quando concluírem o ensino médio, em 2023. Ou seja, o desempenho do aluno será avaliado durante todo o ensino médio, e não apenas no último ano.

O MEC afirmou que as provas do Saeb serão aplicadas não somente aos alunos do ensino médio, mas a todas as séries, a partir do 2º ano do ensino fundamental.

Como funciona hoje?

Atualmente, a prova do Saeb é feita de dois em dois anos, somente por alunos dos 2º, 5º e 9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio. Além disso, contam apenas com questões de português e matemática.

Qual será o conteúdo das novas provas do Saeb?

Os testes terão questões sobre todas as disciplinas da Base Nacional Comum Curricular, não apenas português e matemática.

O Enem tradicional vai deixar de existir?

Não. O MEC informa que o Enem seriado é somente “mais uma porta de entrada ao ensino superior”. Segundo a pasta, o Enem tradicional continuará a ser aplicado normalmente, tanto nas versões impressa quanto digital. 

Haverá uma quantidade de vagas nas universidades reservadas ao Enem tradicional e uma quantidade de vagas para o Enem seriado.

Como as provas serão aplicadas?

Em 2021, o Saeb será feito como é hoje: no 2º, 5º e 9º ano do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio, em papel. O que acontecerá, na prática, é a inclusão do 1º ano do ensino médio, que fará a prova em meio digital. Em 2022, será incluído o 2º ano, e em 2023, o 3º ano.

Futuramente, as provas do novo Saeb serão em papel até o 4º ano do ensino fundamental, e eletrônicas do 5º ano em diante. Mas o Inep ainda não divulgou datas para a implementação dessas mudanças.

De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, em 2021 todos os alunos das escolas públicas e privadas do 1º ano do ensino médio farão o novo Saeb em tablets, fornecidos pelo MEC.

Quantos alunos devem ser avaliados?

As provas devem ser aplicadas a cerca de 35 milhões de alunos (do 2º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio). Em 2019, o Saeb tradicional foi aplicado a 6 milhões de estudantes.

(Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)