Cidade de São Paulo deve liberar eventos corporativos e acadêmicos

Em reunião realizada nesta quarta-feira (23), ficou definido que os eventos culturais, como shows e baladas serão os últimos a serem liberados

Pedro Duran, da CNN, em São Paulo
23 de setembro de 2020 às 20:31 | Atualizado 23 de setembro de 2020 às 23:15

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vai anunciar nesta quinta-feira (23) os protocolos finais para os setores de cultura e eventos na cidade. As duas primeiras atividades da área a serem retomadas serão os eventos corporativos e acadêmicos.

A autorização para que sejam liberadas as atividades desse tipo, porém, só virá quando a capital paulista entrar na fase verde do plano de flexibilização estadual. A estimativa da prefeitura é que isso aconteça em 9 de outubro.

Leia também

Governo do DF divulga cronograma para retomada de eventos corporativos

Casas noturnas de São Paulo se reinventam para driblar a crise

Doria garante que haverá vacina para todos no estado de São Paulo até fevereiro

Os protocolos, no entanto, já foram definidos e estão em última análise na Secretaria Municipal de Justiça. Eles preveem, entre outras coisas, um limite de público para os eventos. A reportagem da CNN apurou que o número máximo de pessoas deve ficar entre 50 e 100. Isso é o que propôs a Vigilância em Saúde do município.

Museus, teatros, bibliotecas e cinemas precisarão de cadeiras marcadas, controle de acesso e medição de temperatura na entrada. Esses equipamentos culturais já poderiam funcionar há dois meses com 40% da capacidade, mas a prefeitura vetou a retomada até alcançar a fase verde.

Com os números de combate à pandemia em queda no município, esse tipo de atividade já entrará no limite permitido para a fase verde, de 60% de capacidade ocupada.

 

Eventos divididos em grupos

Eventos corporativos e acadêmicos estão na frente da fila. Isso vai beneficiar palestras, workshops, lançamentos de produtos, treinamentos corporativos e feiras de negócio. Na visão dos técnicos da secretaria municipal de Saúde, parte desses eventos já poderia estar sendo realizada nas atuais regras em que se encontra a cidade.

Já o pleito de casas noturnas para estender o horário de funcionamento para 1h da manhã, foi recusado. Eles pediram também a realização de apresentações musicais ao vivo em espaços que funcionem como restaurantes, o que também está descartado no primeiro momento.

 

Pistas de dança vetadas

 

Festas noturnas, baladas, shows e todos os espaços com pista de dança seguirão vetados. A vigilância do município se mostrou contrária a liberação deles nessa primeira fase. O mesmo vale para torcida em estádios, que também terão o veto da prefeitura, seguindo a decisão do governo estadual.

Os eventos serão separados em grupos, cada um com sua regra específica. Para chegar nesse desenho, cinco secretarias foram envolvidas no processo. Os setores que representam cada uma das atividades que serão liberadas estarão em reunião com a equipe de Covas na manhã desta quinta para serem avisados sobre os protocolos.