'Não temos indicativo de segunda onda no Amazonas', diz Wilson Lima

Governador do Amazonas diz que aumento de casos em Manaus foi causado por aglomerações nos feriados

Da CNN, em São Paulo
25 de setembro de 2020 às 19:31

O governo do Amazonas anunciou nesta quinta-feira (24) que irá voltar a fechar os bares e balneários da capital Manaus após aumento dos casos de Covid-19. Porém para o governador do estado, Wilson Lima (PSC), este crescimento não é indicativo de uma segunda onda, mas de maior desrespeito aos protocolos de segurança.

“Não temos nenhum indicativo de que há uma segunda onda de casos da Covid-19 no estado. O que aconteceu nos últimos 15 dias foi um aumento de casos por conta do feriado da semana da pátria, com aglomerações e festas clandestinas especialmente entre as classes A e B. Isso causou um aumento de 15% da ocupação de leitos da rede privada”, disse Lima.

Leia também

Em discurso na ONU, papa Francisco alerta para situação perigosa na Amazônia

Estudo preliminar aponta que Manaus pode ter atingido imunidade de rebanho

Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas em entrevista para a CNN (25.set.2020)
Foto: CNN Brasil

Ele explica que a medida que atinge bares e balneários foi uma maneira do governo fechar locais com tendência de aglomeração para manter abertos serviços essenciais e outras atividades, como as aulas presenciais da rede privada de ensino de Manaus.

“A tendência de aumento é resultado de pessoas que não respeitaram os protocolos. Há casos em que se alugam sítios dizendo ser para eventos fechados, mas começam a vender ingressos e a coisa foge de controle", afirmou.

(Edição: Leonardo Lellis)