Aulas no Rio retornam no dia 19 para alunos do 3º ano do ensino médio e EJA

Governador em exercício, Cláudio Castro, diz que objetivo é preparar os estudantes para a realização da prova do Enem

Jairo Nascimento e Isabelle Resende da CNN, no Rio
09 de outubro de 2020 às 12:28 | Atualizado 09 de outubro de 2020 às 12:55

O governador em exercício do Rio de Janeiro determinou que as aulas da rede pública vão retornar no dia 19 de outubro para os alunos do 3º ano do ensino médio e para os estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA). O intuito é atender e preparar os 40 mil alunos do Estado inscritos no Enem, que acontecerá em janeiro de 2021.

Ao todo, serão 126 mil alunos no regresso (entre inscritos e não inscritos no Enem). "Não é quando, mas é como volta. Essa volta tem que ser responsável. Estamos fazendo planejamento para que alunos e professores tenham segurança sanitária", disse governador em exercício, Cláudio Castro, na companhia do Secretário de Educação, Comte Bittencourt, em entrevista coletiva no Palácio Guanabara nesta sexta-feira (9). Haverá uma análise diária sobre a evolução dos casos de coronavírus na rede pública de ensino.

Leia também:
Enem seriado: veja o que muda na aplicação das provas e obtenção das notas
Com feriado, Rio de Janeiro tem crescimento na taxa de ocupação de hotéis

Governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, durante anúncio do retorno das aulas
Foto: Jairo Nascimento/CNN

"A educação irá voltar. É uma decisão política. Estamos fazendo um grande laboratório para conseguir entender como a educação volta de maneira segura", afirmou Castro. Serão investidos R$ 9 milhões em 1200 escolas pela Secretaria de Educação. "Temos uma prova do Enem, estado não tem como interferir", explicou o secretário de Educação, que confirmou diálogo com o Sindicato dos Professores, Ministério Público e Defensoria Pública.

As escolas estão se adequando quanto às medidas de prevenção sanitária e vão oferecer álcool em gel, máscaras, face shield, luvas e demais EPIs para servidores e alunos. Serão disponibilizados 35 mil testes para Covid-19 que serão realizados nos municípios pelos professores. O exame não é obrigatório, mas só poderão trabalhar presencialmente as pessoas testadas. O governador afirmou que mais testes poderão ser adquiridos. Docentes com mais de 60 anos estão liberados e os que têm comorbidade poderão fazer uma autodeclaração para que sejam liberados. Haverá pagamento de hora extra para os professores que atuarem nas atividades de reforço escolar.

Todas escolas terão salas de emergência para atender casos de Covid-19 e os infectados serão atendidos pela rede pública. Haverá um protocolo para a turma e acesso à escola.

Em 2020, nenhum aluno será reprovado. Alunos do 6º ano do fundamental ao 2º ano do ensino médio e os primeiros módulos da educação adulta só retornarão em 2021. A atividade será apenas de forma remota. A Secretaria de Educação vai entregar o material de estudo para os alunos e está desenvolvendo um plano para que os estudantes receberam o conteúdo didático em casa.

Bittencourt afirmou que o estado está em um "apagão escolar". Dos 709 mil alunos da rede pública, 411 mil não tiveram aulas durante pandemia. Para reduzir o apagão serão entregues, a partir da próxima semana, materiais de estudo para os alunos que não consigam fazer a aula de forma remota com uso da Internet, por exemplo. O estado prevê um plano de recuperação do tempo perdido para o calendário em 2021.

Na quinta-feira (8), o executivo publicou regras sobre a volta das aulas no Diário Oficial. Mais dados sobre a retomada serão divulgados na próxima terça-feira (13).