Ibama: Trabalhamos da melhor forma possível para lidar com os incêndios


Da CNN, em São Paulo*
22 de outubro de 2020 às 16:28


O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) determinou que todos os agentes em trabalho no combate a incêndios florestais retornem para suas bases a partir de meia-noite desta quinta-feira (22) em razão da falta de recursos financeiros para mantê-los no local.

Em entrevista à CNN, Eduardo Bim, presidente do Ibama, falou sobre a situação. “Você tem um orçamento votado pelo Congresso que te autoriza a gastar ‘X’. Mas você firma o contrato, toma o serviço do prestador, e depois disso, você precisa pagar esse débito. Hoje, nós temos um déficit de financeiro de R$ 19 milhões”, argumentou. 

Assista e leia também:

Antes de Ibama parar ações contra queimadas, Economia negou ampliar orçamento

Governo libera R$ 16 milhões para Ministério do Meio Ambiente, diz Mourão

Eduardo Bim, presidente do Ibama

Eduardo Bim, presidente do Ibama

Foto: CNN (22.out.2020)

E explicou : “Não é interessante, em termos de organização pública, você antecipar dinheiro para o órgão e, sim, ir pagando aos poucos, mês a mês, como a Economia vem fazendo. Mas com um valor mais baixo, por isso esse déficit”.

Sobre a situação das queimadas no Pantanal, Bim disse que o órgão vai "trabalhar para solucionar, sim”. “Fazer um ofício é uma coisa, outra coisa é desmobilizar o pessoal em campo. Leva um tempo”.

E afirmou que é uma "situação preocupante" e que estão trabalhando "da melhor maneira possível" para acabar com os focos de incêndio, especialmente na região de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

A ordem partiu da Diretoria de Proteção Ambiental em ofício enviado às diretorias do Ibama. De acordo com o documento, assinado pelo Diretor Olímpio Ferreira Magalhães, após o retorno, brigadistas "deverão aguardar ordens para o emprego em operações em campo".

Em outro documento interno, o diretor de Planejamento do órgão, Luís Carlos Nagao alega falta de recursos.

"Considerando que as tratativas com os órgãos superiores para solução do problema ainda não surtiram efeito, comunico a indisponibilidade de recursos financeiros para fechamento do mês corrente, não sendo possível prosseguir com os pagamentos das despesas desta autarquia", disse. 

Nota do Ibama 

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) informa que a determinação para o retorno dos brigadistas que atuam no Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) acontece em virtude da exaustão de recursos. Desde setembro, a autarquia passa por dificuldades quanto à liberação financeira por parte da Secretaria do Tesouro Nacional.

Para a manutenção de suas atividades, o Ibama tem recorrido a créditos especiais, fundos e emendas. Mesmo assim, já contabiliza 19 milhões de pagamentos atrasados, o que afeta todas as diretorias e ações do instituto, inclusive, as do Prevfogo.

(*Com informações de Bia Gurgel e Bianca Camargo, da CNN, em Brasília e em São Paulo)