Lia Bock: Brasileiro nunca buscou tanto na internet por racismo quanto em 2020

Manual do Mundo Moderno lembrou a morte de Gabriel Ribeiro Marcondes, de 20 anos, neto do sambista Neguinho da Beija-Flor

Da CNN, em São Paulo
23 de outubro de 2020 às 12:26

No Manual do Mundo Moderno desta sexta-feira (23), na CNN Rádio, Lia Bock falou sobre questões relacionadas ao racismo e a violência policial. 

Ela lembrou a morte de Gabriel Ribeiro Marcondes, de 20 anos, neto do sambista Neguinho da Beija-Flor, no dia 18 de outubro, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Gabriel e as outras duas pessoas foram baleadas perto de um local onde era realizado um baile funk.

Assista e leia também:
Lia Bock sobre fofoca: humanidade segue sendo a mesma que fuxicava no portão
Lia Bock: Cultura do cancelamento é muito perigosa e detona a vida da pessoa
Lia Bock: o silêncio responsável do papa sobre as igrejas incendiadas no Chile

Lia Bock comanda o Manual do Mundo Moderno na Rádio CNN
Foto: CNN Brasil

Lia disse que entrevistas recentes de Neguinho da Beija-Flor estão atraindo muita atenção na internet. o Sambista afirmou, nos últimos dias, que pretende deixar o Brasil para criar a filha de 12 anos, que também é negra, com segurança em outro país.

"Os assassinatos de negros no Brasil aumentaram 11,5% em 10 anos e o de não negros caíram 12,9% no mesmo período, segundo o Atlas da Violência", disse Lia. 

"A gente tem uma política de segurança que não protege os negros", afirmou ela. "A gente precisa ter muita atenção no efeito de políticas que, muitas vezes, são populistas e prometem segurança. Mas a gente tem que se perguntar: segurança para quem?"

Apesar disso, Lia disse que o brasileiro vem buscando saber mais sobre o racismo, procurando na internet livros sobre o assunto, sobre o que é racismo estrutural, privilégio branco, entre outros conceitos. "O Brasil nunca buscou tanto por racismo na internet quanto em 2020", contou ela.

(Edição: Leonardo Lellis)