Waack: negar existência de desmatamento é estratégia fadada a derrota

Presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, usam linguagem completamente diferente sobre a Amazônia

Da CNN
23 de outubro de 2020 às 09:52

No quadro CNN Poder desta sexta-feira (23), na CNN Rádio, William Waack falou sobre a estratégia do governo brasileiro de negar que o desmatamento de biomas do país seja um problema, o que ele considerou uma forma “absurda e fadada a derrota” para enfrentar essa questão.

“Façam cada um de vocês uma pergunta a si mesmos: vale a pena adotar a estratégia da negação quando sob pressão você está tentando explicar alguma coisa para alguém que você acha que não está entendendo?”, indagou o jornalista.

“É mais ou menos assim que está a situação da comunicação do governo brasileiro frente às questões ambientais lá fora”, completou.

Assista e leia também:
PF: grilagem e madeira ilegal são principais causas de desmatamento na Amazônia
'Bolsonaro e Mourão minimizam questão ambiental', diz ex-diretor do Inpe

Para Waack, o governo está perdendo a guerra da comunicação e vive uma situação “um bocado esquizofrênica”.

“A gente tem um presidente da República que nega, diz que não tem um hectare da Amazônia devastado. É um absurdo. Uma afirmação dessas é absurda, ninguém leva a sério”, disse.

“E tem o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, que se encontra com boa parte daqueles que são responsáveis pelas críticas também. Mourão, hoje, fala uma linguagem completamente diferente sobre a Amazônia do que o presidente da República. Lá fora, os dois estão perdendo.”

(Edição: André Rigue)