São Paulo terá restrições mais duras até o dia 27; saiba o que funciona

No ano novo, entre os dias 1 e 3, as restrições voltarão a ser endurecidas pelo governo do estado

Matheus Prado, da CNN, em São Paulo
25 de dezembro de 2020 às 09:04 | Atualizado 25 de dezembro de 2020 às 09:07
Movimentação no parque Ibirapuera, em São Paulo, em meio à pandemia da Covid-19
Movimentação no parque Ibirapuera, em São Paulo, em meio à pandemia da Covid-19
Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo (6.dez.2020)

O governo de São Paulo anunciou na última terça-feira (22) que todo o estado terá fortes restrições durante Natal e Ano Novo. Com isso, apenas serviços essenciais poderão funcionar durante as janelas de 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro.

Na prática, é como se toda a unidade federativa estivesse na fase vermelha do Plano São Paulo durante essas duas janelas.

Nestes seis dias específicos, o atendimento presencial está proibido em shoppings, lojas, concessionárias, escritórios, bares, restaurantes, academias, salões de beleza e estabelecimentos de eventos culturais. Parques também ficam fechados. Farmácias, mercados, padarias, postos de combustíveis, lavanderias e serviços de hotelaria estão liberados.

Leia também:
'Não esperamos 90% de eficácia da Coronavac', diz secretário da Saúde de SP
Máscara, precaução e ‘espera pela segurança’: como será a vida pós-vacina
Natal em casa: Veja o que estreia nesta semana na Netflix e outros streamings

Em coletiva no Instituto Butantan sem a presença do governador João Doria (PSDB), a secretária de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen, afirmou que o governo precisou tomar "esta decisão difícil" para que a situação do estado não volte a piorar.

Sobre as prováveis aglomerações nas praias do litoral paulista neste final do ano, o governo afirma que a responsabilidade é das prefeituras, mas que busca conversar com as municipalidades para manter a "austeridade que o momento pede".

Nos demais dias, todo o estado continua na fase amarela, a terceira das cinco estipuladas pelo Plano SP. A exceção é a região de Presidente Prudente, com 45 municípios que retornam de forma extraordinária para a fase vermelha a partir do dia 25 e permanecem até a próxima reclassificação em janeiro. A taxa de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para Covid-19 na região de Prudente está em 83,1%. 

Também foi anunciado que o estado não voltará à fase verde em janeiro, como era esperado. A reclassificação do faseamento foi remarcada do dia 4 para 7 de janeiro. Como novos prefeitos assumem os cargos no primeiro dia de 2021, o governo do estado fará reuniões a partir do dia 4 para apresentação do Plano SP.