Com receio de escassez, governadores discutem reservas de 2ª dose da Coronavac

Em entrevista para a CNN, João Gabbardo, coordenador do Centro de Contigência da Covid-19 em São Paulo disse que a interrupção da vacinação é uma “certeza”

Da CNN, em São Paulo
19 de janeiro de 2021 às 17:36

 

Por conta do atraso do envio de novos insumos para a produção da Coronavac no Brasil, governadores começaram a discutir a reserva da 2ª dose da vacina com receio da escassez do produto. A informação é da âncora da CNN Daniela Lima.

Diante desse cenário, os gestores discutem reservas da 2ª dose, a fim de garantir que pessoas que já foram vacinadas uma vez não percam a imunização.

Secretários de saúde estados e municípios já foram alertados sobre um possível cenário de disponibilidade reduzida da vacina.

O problema foi colocado pelo governador Wellington Dias (PT-PI), representante do Fórum de Governadores em assuntos relacionados à Covid-19.

Ele disse que os gestores devem se organizar para pressionar a Anvisa a acelerar a avaliação do novo pedido de uso emergencial.

Em entrevista à CNN, João Gabbardo, coordenador do Centro de Contigência da Covid-19 em São Paulo disse que a interrupção da vacinação é uma “certeza” por problemas de insumos.

Aplicação da vacina contra Covid-19, Coronavac, em São Paulo
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo (17.jan.2021)