Governo de São Paulo pode comprar vacinas do Butantan, diz João Gabbardo

"Não é lógico nós mantermos quantidade imensa de vacinas guardadas para uma segunda dose, o importante nesse momento é vacinar o máximo de pessoas.”

Da CNN, em São Paulo
27 de janeiro de 2021 às 23:25 | Atualizado 27 de janeiro de 2021 às 23:28

 

 

Em entrevista à CNN, João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 de São Paulo, falou que, caso o ritmo do programa de vacinação seja lento, o estado poderá comprar vacinas por conta própria.

“Queremos acelerar a vacinação. Se o processo for lento, é possível que o governo de São Paulo adquira parte de vacinas do Butantan. Outros estados demonstraram interesse também, mas nossa prioridade é colocar toda produção do Butantan à disposição do Ministério da Saúde”, disse Gabbardo

"Não é lógico nós mantermos quantidade imensa de vacinas guardadas para uma segunda dose, o importante nesse momento é vacinar o máximo de pessoas.”

João Gabbardo, secretário-executivo do Centro de Contingência do Combate à Covid
João Gabbardo, secretário-executivo do Centro de Contingência do Combate à Covid-19 de São Paulo
Foto: CNN (19.nov.2020)

Gabbardo falou também sobre a decisão do governo de São Paulo de utilizar todo seu estoque de vacinas e não reservar para a segunda dose e minimizou a possibilidade do estado ficar sem vacinas para a segunda dose de vacinados.

"Não há risco de ficar sem doses, vamos vacinar a segunda dose com as próximas remessas que vamos receber. O importante é imunizar o mais rápido possível até para que as variantes não tenham espaço para que sejam transmitidas", afirmou.