Rio trabalha para reabrir sedes olímpicas do Parque de Deodoro ao público

Complexo foi sede de 11 modalidades olímpicas e quatro paralímpicas nos Jogos Rio 2016.

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
27 de janeiro de 2021 às 11:31
Circuito Olímpico de Canoagem Slalom e Centro Olímpico de BMX, em Deodoro, Zona Norte do Rio de Janeiro
Foto: Gabriel Heusi/Heusi Action/Brasil2016.gov.br

 

Até o fim do mês que vem a prefeitura do Rio de Janeiro espera reabrir ao público a piscina e o lago artificial do Parque Radical de Deodoro, na Zona Norte do Rio. O complexo foi sede de 11 modalidades olímpicas e quatro paralímpicas nos Jogos Rio 2016.

O estudo sobre como isso será feito está  cargo da Secretaria Municipal de Esportes, devido ao risco de novas aglomerações em meio ao avanço do coronavírus na capital fluminense.

 

A reestruturação do local envolve o estabelecimento de novos contratos para gestão da área, que tinha capacidade de receber 4 mil pessoas antes da pandemia e, ainda, para contratação de pessoal. 

Moradores da região, localizada na Zona Norte do Rio, pleiteiam há meses a reabertura da piscina e do lago artificial, que serviram como sede da canoagem slalon na Olimpíada de 2016, sobretudo em virtude do forte calor no verão carioca. A sensação térmica nesta semana deve bater 50 graus no Rio. 

 

A grande preocupação dos gestores municipais é sobre como lidar com eventuais aglomerações. No Parque de Deodoro, no entanto, existem catracas que podem ajudar a controlar a entrada indiscriminada do público que pretende voltar a frequentar as piscinas e o imenso lago do local. Outras atividades e treinamentos podem ser realizadas, com respeito às regras de distanciamento social.