AM: 52 pacientes morreram após transferência para tratamento em outros estados

Segundo o governo amazonense, 529 pessoas precisaram de tratamento em outros estados

Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
10 de fevereiro de 2021 às 13:50 | Atualizado 10 de fevereiro de 2021 às 16:18
Paciente com Covid-19 transferido de Manaus chega a Recife
Paciente com Covid-19 transferido de Manaus
Foto: Rodrigo Baltar/Agência Pixel Press/Estadão Conteúdo (26.jan.2021)

Até a manhã desta quarta-feira (10), 529 pacientes com Covid-19 foram transferidos para tratar a doença fora do Amazonas – desses, 52 morreram, representando 9,8%. A transferência, que começou a ser realizada em 15 de janeiro, foi feita para permitir o tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus, independente da falta de oxigênio enfrentada no estado.

Segundo o governo do Amazonas, dos 529 pacientes transferidos, 186 já tiveram alta e retornaram ao estado, representando, dessa forma, 35,1% do total. Mais da metade dos pacientes transferidos (291) seguem em tratamento em outros estados.

De acordo com o governo estadual, o órgão “presta todo auxílio à família, com acompanhamento de uma equipe psicossocial”, além do translado dos familiares ao estado de tratamento para realizar os trâmites e, depois, realizar a transferência de volta ao Amazonas para os enterros.

Segundo dados do boletim epidemiológico do Governo do Amazonas de terça-feira (9), o estado registrou 285.100 casos confirmados da Covid-19 e 9.258 mortes em decorrência da doença. Apenas em Manaus, são 129.721 casos e 6.484 mortes.

Em relação aos pacientes que aguardam internação, 359 estão na fila do estado, sendo que 87 destes esperam por um leito de UTI.

Em janeiro de 2021, o Amazonas chegou a registrar 258 novas internações em um dia - maior número diário contabilizado desde o início da pandemia.