Rio: Alunos da rede municipal voltam às aulas presenciais nesta quarta (24)

Das 1.543 unidades, apenas 38 retomam o ensino presencial esta semana. Retorno é facultativo para cerca de 7 mil alunos da pré-escola, primeiro e segundo ano

Cleber Rodrigues e Isabelle Resende, da CNN, no Rio de Janeiro 
24 de fevereiro de 2021 às 10:13

 

As aulas presenciais da rede pública da capital fluminense foram retomadas na manhã desta quarta-feira (23), mas somente em 38 unidades municipais.

O retorno presencial é escalonado e facultativo. Nessa etapa, apenas estudantes da pré-escola, 1º e 2º ano do ensino fundamental estão autorizados a voltar para as salas de aula. Ao todo são cerca de sete mil alunos, mas vale lembrar que este retorno é opcional para as famílias e será progressivo.

Os estudantes que preferirem terão aulas remotas com materiais impressos fornecidos pela prefeitura. Participam deste primeiro momento das aulas presenciais cerca de 210 professores. E toda semana uma lista de escolas aptas ao retorno presencial será divulgada pela Prefeitura do Rio. Segundo a secretaria de educação, a expectativa é que o número de unidades aptas dobre a partir da próxima semana.

As aulas presenciais ocorrerão em unidades adequadas ao protocolo sanitário aprovado pelo Comitê Especial de Enfrentamento da Covid-19. Para evitar aglomeração, a quantidade de alunos estará condicionada à situação epidemiológica de cada região administrativa da cidade.

Se a situação estiver moderada (bandeira amarela), as unidades escolares poderão receber 75% de seus alunos. Se estiver alta (bandeira laranja), 50% de sua capacidade. E se estiver Muito Alta (bandeira vermelha), 30% da capacidade.

 

Os especialistas alertam para a importância das crianças e adolescentes estarem com a carteira de vacinação em dia, já que o ambiente escolar favorece o contágio de muitas doenças, além da covid-19. No ano passado, nenhuma das vacinas ofericidas pelo SUS ultrapassou os 77% do púbico-alvo imunizado. Após um período de isolamento em que muitas famílias não cumpriram o esquema vacinal, o risco aumenta de contrair outras doenças como gripe, sarampo e meningite. 

“É extremamente importante que crianças e adolescentes estejam com calendário vacinal em dia. Isso porque esse contato próximo entre os alunos acaba, naturalmente, favorecendo a transmissão de doenças infectocontagiosas, doenças que muitas vezes são preveníveis pela vacinação. O nosso país sempre teve coberturas vacinais muito boas. Desde 2011, a gente vem observando uma queda nas coberturas vacinais, isso por diversos fatores. Mas durante o período pandêmico, a gente observou uma diminuição ainda maior dessas coberturas vacinais”, destacou Renan Ferreirinha, em visita à escola Suíça, zona norte do Rio, onde 22 alunos voltaram nesta manhã.

 

Apesar da expectativa pelo retorno às aulas, o secretário de educação da capital fluminense, Ferreirinha não descartou um novo fechamento das escolas da rede pública caso seja registrado uma alta na taxa de contaminação por Covid-19 na cidade.

“Se por exemplo, mais de três casos, pelo menos três casos no mesmo grupamento, no mesmo intervalo de 14 dias acontecer numa escola, a Secretaria de Educação, junto com a secretaria de Saúde, considera fortemente o fechamento dessa unidade escolar. Mas caso alguma pessoa for considerada, tiver com sintoma suspeito, vai ser encaminhada pra unidade de saúde de referência, poderá ter o teste, tudo isso de forma muito integrada com a Saúde, que é nossa parceria principal num momento tão atípico”, finalizou Ferreirinha.