Rio registra maior fila por leitos do ano, aumento de 1200% em relação ao dia 1º

Fila para um leito de UTI é maior desde maio, quando houve o primeiro pico da pandemia

Mylena Guedes*, da CNN, no Rio de Janeiro
19 de março de 2021 às 23:35
Leitos de UTI no Hospital Ronaldo Gazzola, na zona norte do Rio de Janeiro
Leitos de UTI no Hospital Ronaldo Gazzola, na zona norte do Rio de Janeiro, durante pandemia da Covid-19
Foto: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo (10.mar.2021)

O estado do Rio de Janeiro registrou, nesta sexta-feira (19), o maior número de pessoas na fila de espera por um leito de atendimento para Covid-19 na rede pública neste ano.

De acordo com o Painel Coronavírus, 481 pacientes com confirmação ou suspeita da doença aguardam na fila por uma vaga num hospital. No primeiro dia deste mês, o painel registrava apenas 37 pessoas na fila de espera por um leito. Após 19 dias, o número de pessoas na fila aumentou, portanto, em 1.200%. 

Ainda de acordo com dados do Painel, do total de pacientes a espera por uma vaga, 376 necessitam de um leito de UTI. Desde o dia 13 de maio de 2020, quando houve o primeiro pico da pandemia, o estado do Rio não registrava uma fila de espera para leitos de UTI tão grande. 

Até às dez horas da noite desta sexta-feira (19), o estado registra 85,9% de ocupação nas UTIs dos hospitais. Enquanto a taxa de ocupação nas enfermarias está em 67,2%.

Já na capital, a taxa de ocupação de leitos é ainda maior. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a taxa de ocupação para UTI é de 95% e das enfermarias está em 83%. Nas redes sociais, o prefeito Eduardo Paes (DEM) afirmou que a capital é o centro da oferta de vagas de leitos públicos de toda a Região Metropolitana.

Segundo ele, das 40 pessoas em fila de espera para leitos de UTI na capital, apenas 9 moram na cidade. Em reunião com o governador em exercício Cláudio Castro (PSC), Paes ressaltou a necessidade de medidas restritivas com alcance metropolitano, para que as restrições tenham, de fato, eficácia.  Nesta segunda-feira (22), a prefeitura deve anunciar novas medidas em acordo com o governo do estado. 

*Sob supervisão de Isabelle Resende