Presidente diz que Alerj decidirá por medidas restritivas mais duras no RJ

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, André Ceciliano (PT) afirmou à CNN que deputados devem endurecer propostas do governo do estado

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
22 de março de 2021 às 16:34 | Atualizado 22 de março de 2021 às 16:43
André Ceciliano
Para André Ceciliano (PT), decisões sobre fechamento de comércio devem caber aos prefeitos
Foto: Divulgação

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, André Ceciliano (PT) disse à CNN que os deputados estaduais deverão tornar mais rígidas as medidas de isolamento contra a pandemia que serão propostas pelo governador em exercício, Cláudio Castro (PSC). 

De acordo com o documento entregue a empresários em reunião no último sábado (20), Castro manteria comércio e serviços funcionando - ainda que em horários diferentes - durante o feriadão de 10 dias que começaria na próxima sexta-feira (26).

Nesta segunda-feira (22), o governador chegou a dizer que caberia a ele, e não aos prefeitos, decidir sobre fechamento de bares e restaurantes. Em resposta, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), escreveu no Twitter que Castro não entendera os objetivos do feriadão e que as providências restritas representariam uma "micareta", que batizou de "CastroFolia"

Para Ceciliano, decisões sobre fechamento de comércio devem caber aos prefeitos, não ao governador. Ele afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) já definiu a prevalência de medidas mais restritivas, e ressaltou que há municípios fluminenses com dificuldade para comprar medicamentos usados no tratamento de pacientes com Covid-19.

O presidente da Alerj falou nesta segunda-feira por telefone com Eduardo Paes. O parlamentar disse ter pedido para que ele evitasse brigas e que tivesse responsabilidade nas negociações. Na terça-feira (23), os dois terão um jantar.

Na tarde desta segunda-feira, Ceciliano se encontrará com o governador. "Vou pedir que ele tenha juízo", antecipou à CNN.