Butanvac tem tecnologia similar à vacina da gripe e pode ter dose única

Informações divulgadas pelo Instituto Butantan detalham as especificidades da vacina brasileira que deverá começar a ser testada em abril

Weslley Galzo, da CNN, em São Paulo
26 de março de 2021 às 08:20 | Atualizado 26 de março de 2021 às 10:39

Em evento realizado na manhã desta sexta-feira (26) no Instituto Butantan, o diretor da instituição, Dimas Covas, afirmou que a vacina Butanvac -- o primeiro imunizante feito integralmente no Brasil -- será desenvolvida com a mesma tecnologia utilizada na vacina contra a gripe e conseguirá neutralizar a variante P.1 do coronavírus.

De acordo com Covas, a nova vacina poderá imunizar a população com apenas uma dose. "É uma possibilidade. O fato de você ter uma melhor resposta imunológica permite utilizar apenas uma dose".

A vacina Butanvac será desenvolvida a partir da modificação genética da estrutura básica do vírus que se expressa na proteína S. O Butantan avalia que a utilização da mesma tecnologia utilizada na vacina contra a gripe pode baratear os custos de produção e aumentar o potencial de imunização, além de ser adaptável no combate a eventuais novas variantes do vírus.

“Estamos falando de uma segunda geração de vacinas (...) Aprendemos com as vacinas anteriores e sabemos o que é uma vacina boa contra a Covid. Será uma vacina mais imunogênica”, afirmou Dimas Covas. 

O governo de São Paulo entrará com o pedido de desenvolvimento de estudo clínico junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na tarde desta sexta-feira para que os testes sejam realizados com voluntários em abril.

O governador João Doria (PSDB) prevê a produção de 40 milhões de doses da Butanvac para vacinar a população a partir do mês de julho e pediu celeridade da Anvisa na análise dos avanços clínicos do imunizante para que o cronograma previsto seja cumprido. Segundo o governo paulista, a produção da vacina terá início em maio visando garantir que as doses sejam disponibilizadas rapidamente, assim que o órgão regulador aprovar o seu uso.

O diretor do Instituto Butantan disse que não houve repasses de recursos do governo federal, por meio do Ministério da Saúde, para a produção da vacina. Segundo o governo do estado, os estudos de desenvolvimento do imunizante iniciaram há um ano em tratativas com o laboratório chinês Sinovac.

Eficaz contra variantes

O instituto Butantan informou que a Butanvac é desenvolvida para garantir o combate da variante P1 do coronavírus, identificada pela primeira vez em Manaus. Além de neutralizar a variação brasileira do vírus, Dimas Covas disse que o Butantan poderá adaptar o imunizante. 

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que o imunizante já foi desenvolvido a partir da variante descoberta no Amazonas.

"Na realidade, nós trabalhamos na versão P.1 da vacina, então quando entrar em produção será na versão P.1", afirmou.

(Com informações de Rafaela Lara)