Familiares de Anderson pedem que Flordelis pague indenização de R$ 800 mil

Pedido foi feito por pai, irmã e tia de Anderson do Carmo, que cobram responsabilidade de deputada pelo assassinato do pastor

Iuri Corsini e Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro
04 de maio de 2021 às 19:10 | Atualizado 05 de maio de 2021 às 11:26
Flordelis
Familiares de Anderson alegam que deputada tem responsabilidade pela morte do pastor
Foto: Reprodução/Facebook (Flordelis)

Familiares de Anderson do Carmo entraram com um pedido na Justiça para que eles sejam indenizados em até R$ 800 mil pela deputada federal Flordelis (PSD-RJ), sob a alegação de que ela teria sido a mandante do crime que tirou a vida do pastor. 

Na ação, foram pedidos, a título de danos morais, R$ 500 mil para Jorge, pai de Anderson, R$ 200 mil para Claudia, irmã do pastor, e R$ 100 mil para Nádia, que é tia e madrinha da vítima. Ainda não houve decisão judicial sobre o pedido de indenização.

Flordelis é ré no processo que julga as circunstâncias da morte de Anderson do Carmo, assassinado a tiros em sua casa, no dia 16 de junho de 2019. Para os investigadores do caso, Flordelis foi a mandante do crime. Ela nega as acusações.

Além da investigação que apura o assassinato do pastor, Flordelis também enfrenta um processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados que pede a cassação do mandato da parlamentar.

Na última segunda-feira (26), a filha biológica da deputada federal Simone dos Santos Rodrigues afirmou que pagou R$ 5 mil para matar Anderson do Carmo. Segundo as declarações dela, o crime foi motivado pelas constantes investidas sexuais do pastor. Ela teria dado o dinheiro à irmã, Marzy Teixeira, para “resolver o problema”.

Simone disse, entretanto, que Flordelis não sabia sobre os assédios de Anderson do Carmo, portanto, não teve nenhum envolvimento no assassinato do pastor. A versão, que isenta a parlamentar, é diferente do que dizem filhos adotivos do casal, que atribuem à deputada o plano do assassinato.

Enquanto isso, na Justiça do Ri de Janeiro, segue a expectativa para que a juíza responsável pelo caso, Nearis dos Santos Arce, decida se os 11 réus do caso serão julgados em júri popular ou não. 

Procurada, a defesa de Flordelis, manifestou-se por meio de nota. Leia abaixo:

"A assessoria da deputada Flordelis informa que recebeu pela imprensa a notícia do pedido de indenização realizado pela família do pastor Anderson do Carmo, em razão de seu assassinato. Porém, ainda não foi notificada de nenhum ato. 

A deputada expressa sua tristeza de que eventos tão graves que ceifaram a vida do Pastor Anderson e avassalaram a sua família, signifique e se traduza apenas em uma indenização pecuniária, conforme orientado ao pai do Pastor, hoje assessorado por oportunistas que visam obter projeção pública  e dinheiro, como demonstrado por essa iniciativa. 

Está clara  a  intenção de se obter lucro com uma tragédia, estipulando um valor monetário sobre a vida do pastor."

Desprezam as investigações correntes e fazem pré  julgamento do caso, que ainda corre nos Tribunais. Antecipar culpas e tentar enriquecimento as custas dessa tragédia é deprimente e indigno. É de fato, mais uma tentativa de incriminar a deputada Flordelis, que como sempre sempre fez, buscará nos Tribunais a Justiça.