Gabigol paga multa e Justiça extingue processo por aglomeração em cassino ilegal

Atacante do Flamengo pagou R$ 110 mil, equivalente a 100 salários mínimos

Leonardo Lopes*, da CNN em São Paulo
25 de maio de 2021 às 11:26
Gabigol sendo levado pela polícia, após flagrante em cassino clandestino
Gabigol sendo levado pela polícia, após flagrante em cassino clandestino
Foto: Reprodução / CNN

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) informou, nesta terça-feira (25), que foi extinto o processo por crime contra a saúde pública do jogador Gabriel Barbosa, conhecido como Gabigol.

O atacante do Flamengo pagou uma multa de R$ 110 mil, após ter sido flagrado em aglomeração em um cassino ilegal na capital paulista, em março deste ano. O TJ-SP ressalta que o pagamento em si não ocorreu necessariamente nesta terça.

Na decisão, ao extinguir o processo, o juiz Fabricio Reali Zia pontua que a sanção imposta não aparecerá como antecedente criminal de Gabigol e não terá efeitos civis. O jogador não poderá fazer acordo similares por pelo menos cinco anos.

O caso aconteceu no dia 14 de março, durante uma operação da polícia de São Paulo. A cidade, na época, estava em um período de restrição máxima do funcionamento de estabelecimentos para conter a pandemia de Covid-19.

Em sessão na Justiça, no dia 26 de abril, o Ministério Público e a defesa do jogador entraram em acordo sobre a proposta do pagamento de multa no valor de 100 salários mínimos a ser destinada ao Fundo Municipal da Criança e do Adolescente.

O cassino clandestino onde a aglomeração ocorreu enfrenta processos relacionados à saúde pública e pode pagar multas de cerca de R$ 10 milhões, caso condenado. Na noite em que o estabelecimento foi fechado, mais de 200 pessoas se encontravam no local.

(*Sob supervisão de Victória Cócolo)