Se houver autorização sanitária, faremos Carnaval, diz prefeito do Recife

Em entrevista à CNN, João Campos (PSB) disse que, até o fim de setembro, todos com mais de 18 anos terão tomado a primeira dose na cidade

Produzido por Layane Serrano, Da CNN, em São Paulo
10 de julho de 2021 às 16:44

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), acredita que será possível realizar o carnaval em 2022 na cidade, mas a decisão caberá às autoridades sanitárias. Em entrevista à CNN na tarde deste sábado (10), ele conta também as medidas adotadas para evitar que a população recuse se vacinar por querer escolher o tipo de imunizante. 

"A autorização para a realização ou não [do Carnaval] será das autoridades sanitárias. Vamos deixar tudo feito como se pudesse ter e, as autoridades sanitárias autorizando, faremos o maior Carnaval da história. Não vai depender apenas de um desejo nosso", diz.

 

Depois da medida que pune com proibição de reagendamento da vacinação por 60 dias a quem se recusar a tomar a dose por querer escolher o fabricante, o número de imunizados cresceu, afirma Campos.

Carnaval de Recife 2020
Foto: Governo do Estado de Pernambuco

 

"Na cidade o sistema é 100% digital, toda pessoa que se vacina escolhe o dia, local e horário, só não pode escolher a vacina que vai tomar. Publiquei um decreto regulamentando, dando direito inclusive à defesa caso a pessoa tenha o cadastro bloqueado. A gente percebe uma elevada redução de pessoas que deixaram de se vacinar".

Recife também está com um ritmo acelerado de vacinação, conta o prefeito. "Batemos essa semana 1 milhão de pessoas vacinadas, 60% de quem tem mais de 18 anos já tomou a primeira dose, isso é maior que a média nacional, que é em torno de 40%. O esquema vacinal está bastante acelerado e todo mundo que está agendado para o dia tem a vacina à disposição", afirma.

João Campos (PSB), prefeito do Recife (10.Jul.2021)
Foto: Reprodução/CNN

 

Há uma previsão de quando todos os maiores de 18 anos terão recebido pelo menos a primeira dose. "Estamos vacinando desde o início dessa semana pessoas com 37 anos ou mais, além dos grupos prioritários. O gargalo é a entrega de vacinas por parte do Ministério da Saúde. Se o calendário original for mantido, até o final de setembro garantimos a primeira dose para todos maiores de 18 anos".