Aceleração do calendário vacinal contra Covid-19 no Rio começa nesta segunda

A previsão da prefeitura é que todos os adultos que residem na capital fluminense recebam a primeira dose do imunizante até o dia 18 de agosto

Enfermeira mostra vacina contra a Covid-19 para mulher no Rio de Janeiro
Enfermeira mostra vacina contra a Covid-19 para mulher no Rio de Janeiro Foto: Mario Tama/Getty Images

Mylena Guedes, da CNN, no Rio

Ouvir notícia

A partir desta segunda-feira (2), uma nova fase da vacinação começa na capital do Rio de Janeiro, com a aceleração do calendário. A previsão da prefeitura é que todos os adultos cariocas recebam a primeira dose do imunizante até o dia 18 de agosto. A nova etapa inicia com pessoas de 32 anos nesta segunda e, até o final desta semana, a expectativa é imunizar com a primeira dose pessoas com até 27 anos.

Pela manhã, será a vez das mulheres com 32 anos receberem a primeira dose  e à tarde a vez dos homens. A prefeitura do Rio voltou atrás e decidiu que haverá respescagem essa semana, para pessoas com 50 anos ou mais e para gestantes e puérperas, além de pessoas com deficiência. 

Segundo o calendário, os adolescentes começam a ser vacinados no dia 23 deste mês, quando será retomado três dias para cada idade, sendo uma data para meninas, outra para meninos e, por fim, um dia para todos que perderam a data de vacinação.  

A Secretaria de Saúde do município ressalta que, para que o calendário seja cumprido, é necessário a continuidade da entrega de doses programadas pelo Ministério da Saúde.  

Em outubro, a capital prevê a aplicação de dose de reforço da vacina contra a Covid-19 em idosos. O intuito é que até o fim do ano, todos acima dos 60 anos recebam a terceira dose do imunizante. A medida, no entanto, ainda depende de aval científico para ser concretizada. 

Punição para “sommelier” de vacina 

Na cidade vizinha, em Niterói, foi anunciado que quem tentar escolher a marca da vacina na hora da vacinação, não comparecer na data estipulada pelo calendário ou se recusar a receber o imunizante disponível no posto de saúde, perderá a vez e passará para o fim da fila da imunização. Dessa forma, a pessoa terá que esperar até uma eventual repescagem agendada pela Secretaria municipal de Saúde.  

A medida foi publicada no Diário Oficial da cidade na última sexta-feira (30), com intuito de evitar a atuação dos “sommeliers” de vacina. O novo decreto diz que se o cidadão não comparecer na data específica para a idade, o município irá considerar que houve renúncia tácita.  

Além disso, a pessoa que se recusar a receber a vacina disponível será obrigada a assinar um Termo de Responsabilidade. Se a assinatura for negada, o servidor responsável pela vacinação deverá fazer o registro da recusa e a informação será encaminhada ao Ministério Público.  

O termo de responsabilidade aponta, ainda, que uma revacinação levará a uma possível responsabilização civil, administrativa e criminal.  

*Sob supervisão de Isabelle Resende.

Mais Recentes da CNN