Adiamento do Carnaval visa segurança de turistas no RJ, diz secretário

Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, disse à CNN que a cidade quer receber os turistas com segurança para o Carnaval

Ingrid OliveiraIsabelle Resendeda CNN

Ouvir notícia

As prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro decidiram adiar os desfiles das escolas de samba para o feriado de Tiradentes, em 21 de abril por conta do avanço de casos e internações por Covid-19.

Em entrevista à CNN, Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, disse que a escolha do adiamento dp Carnaval foi para manter a regurança dos turistas.

O secretário aponta que a decisão foi um comum acordo com as Liga das escola de samba e autoridades sanitárias. E que em breve, o Rio de Janeiro estará pronto para receber turistas.

“Se tivermos um cenário epidemiológico favorável, iremos querer um turismo aquecido. Os turistas são importantes para a cidade, e a cidade quer recebê-los com segurança”, disse.

A decisão foi tomada após reunião virtual conjunta no dia 21, sexta-feira. Os desfiles na capital fluminense aconteceriam em 27 e 28 de fevereiro.

Quando questionado sobre as restriçõe para outros eventos na cidade, Soranz, disse que O Carnaval é diferente. “Só na Marquês de Sapucai, são cerca de 500 mil pessoas que passam por ali. É um evento que mobiliza a cidade toda.”

Antes do adiamento, autoridade discutiam que os desfiles poderiam ocorrer com medida sanitárias restritivas. Mas o secretário municipal de Saúde diz que foi um acordo [entre as ligas e autoridades] de que abril seria mais adequado porque a cidade teria condições sanitárias muito melhor.

“Neste momento a gente tem alta disseminação da variante Ômicron e preocupação com pessoas que não se vacinaram. O passaporte sanitário é nossa principal restrição na cidade do Rio.”

Segundo Soranz, são 142 mil casos de Covid na cidade. “Mas o que a gente está vendo é que pessoas vacinadas, com a dose de reforço, não evoluem para doença grave.”

Ele aponta que as medidas de restrição para os desfiles em abril, dependerão do avanço da doença.

“Tudo vai depender do cenário epidemiologico, com número de casos em declínio, pode ser possível fazer um Carnaval somente com o passaporte sanitário. Mas isso vai depender das análise dos meses de janeiro e fevereiro.”

Confira orientações do Ministério da Saúde diante do diagnóstico de Covid-19:

Mais Recentes da CNN