Aeroporto em SP instala câmera térmica para medir temperatura de passageiros

Câmera no aeroporto de Guarulhos consegue medir a temperatura de até 5 mil passageiros em 30 minutos

Anthony Wells e Timóteo Lopes,

da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

O aeroporto internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, conta com uma série de medidas para conter o avanço do novo coronavírus, desde a reorganização das máquinas de raio-X para facilitar o distanciamento social até as políticas de higiene e o uso de máscaras.

“Para o setor aéreo voltar a funcionar com normalidade, duas medidas importantes precisam ser adotadas. Primeiro, a limpeza de ambientes e segundo, o uso de máscaras”, explica o comandante Miguel Dau, diretor de operações da GRU Airport, empresa responsável por Cumbica.

Agora, diante da realidade da pandemia, uma nova medida passa a integrar esta lista: a medição de temperatura por meio de uma câmera térmica jamais vista nos aeroportos do Brasil.

Leia também:

Saiba que destinos internacionais estão reabrindo para turistas

Aéreas aumentam voos em junho e aeroportos voltam a ganhar movimento

Instalado no portão de embarque do Terminal 2, que concentra 90% do fluxo de voos e passageiros no aeroporto, a câmera é capaz de medir a temperatura de até 5 mil passageiros em 30 minutos. Usando um termômetro normal, esse processo demoraria cerca de cinco horas.

“Essa medição de temperatura é importante porque ela traz mais segurança nesse processo de viagem. A ideia é identificar os passageiros com uma temperatura acima de 37,8 graus. Depois eles são direcionados ao posto médico do aeroporto para receber atendimento e instruções”, explica Dau.

A câmera analisa à quantidade de raios infravermelhos emitidos por uma pessoa e depois transmite a informação em tempo real para um monitor que mostra a temperatura corporal de cada passageiro.

O aeroporto de Cumbica está seguindo o exemplo dos aeroportos na Espanha, Turquia, Chile, Argentina e Colômbia, que já possuem a tecnologia da Dahua Technology. No Brasil, o equipamento já está em funcionamento no metrô de Salvador desde o dia 1º de junho.

Crise no setor aéreo

Segundo a GRU Airport, devido à crise provocada pela pandemia de Covid-19, as operações diárias de pousos e decolagens no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, reduziram, em média, 85%. Em relação ao volume de passageiros, até fevereiro de 2020, a média diária chegava a 120 mil passageiros e, atualmente, a média é de 15 mil embarques e desembarques por dia.

Leia também:

Aéreas podem perder mais de US$ 314 bi por causa do novo coronavírus

Segundo Dau, as medidas para conter a disseminação do novo coronavírus servem para criar um ambiente de mais conforto e segurança para o passageiro, o que facilitaria a recuperação do setor.

Testagem de viajantes

A Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo, na sigla em inglês), que representa cerca de 290 empresas aéreas que abrangem 82% do tráfego aéreo global, divulgou os critérios para o uso de testes de Covid-19 no processo de viagem aérea.

Se os governos optarem por usar testar viajantes que chegam de países considerados de alto risco, o texame deve fornecer resultados rapidamente, ter a capacidade de realização em grande escala e fornecer alta precisão. Além disso, o teste deve ser de baixo custo e não pode criar uma barreira econômica ou logística às viagens.

Visão da câmera térmica instalada no Aeroporto Internacional de Guarulhos
Visão da câmera térmica instalada no Aeroporto Internacional de Guarulhos
Foto: CNN (19.jun.2020)

 

Mais Recentes da CNN