“Águas do Rio” assume serviços de água e esgoto em 27 cidades do RJ no dia 1º

Presidente da concessionária disse que não há previsão de reajustes

A partir do mês que vem, então, eles começam a “operação plena, sem qualquer previsão de reajuste”
A partir do mês que vem, então, eles começam a “operação plena, sem qualquer previsão de reajuste” Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Marcela Monteiroda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), e o presidente da “Águas Rio”, Alexandre Bianchini, anunciaram nesta quinta-feira (14) que a concessionária vai assumir efetivamente os serviços de água e esgoto em 27 cidades fluminenses a partir do dia 1 de novembro.

Essa é mais uma etapa prevista a partir do leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae) que aconteceu em abril desse ano.

A “Águas do Rio”, do grupo Aegea, implementou, no começo de outubro, a “operação espelho” em que profissionais da concessionária trabalham no saneamento público, mas com auxílio de técnicos da Cedae.

A partir do mês que vem, então, eles começam a “operação plena, sem qualquer previsão de reajuste”.

Diante do centro de operações integradas, criado para mapear as regiões, Alexandre Bianchini, falou sobre esse processo.

“Começamos um trabalho árduo para estarmos prontos em outubro. Hoje estamos aqui p mostrar que a Águas do Rio está pronta para esse desafio. Quero agradecer o presidente da Cedae pela parceria. É uma relação de respeito visando uma transição tranquila e sem problemas e agradeço a todos por isso, finalizou.

Antecipação da data para assumir os serviços

O governador Cláudio Castro explicou que a antecipação (a data prevista era fevereiro do ano que vem) aconteceu por dois motivos.

“Está maduro esse processo. A empresa se organizou muito rapidamente. E em segundo lugar, queremos que os benefícios cheguem rápido à população. A empresa nem poderia começar os investimentos antes que fosse oficialmente a concessionária”, explicou.

A “Águas do Rio” arrematou os bloco 1 e 3 do maior leilão de saneamento do país. A perspectiva é atender 10 milhões de pessoas e gerar pelo menos 6 mil empregos diretos.

Mais Recentes da CNN