Rio de Janeiro terá distribuição em massa de absorventes nas escolas municipais

Uerj também irá disponibilizar o item de higiene para combate da pobreza mestrual

Falta de condição financeira para comprar absorventes e de estruturas sanitárias estão entre as causas do problema batizado de pobreza menstrual
Falta de condição financeira para comprar absorventes e de estruturas sanitárias estão entre as causas do problema batizado de pobreza menstrual Foto: Getty Images

Beatriz Puenteda CNN*

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

As alunas das escolas municipais do Rio de Janeiro terão, ainda este mês, acesso gratuito a absorventes menstruais. Desenvolvido pela Secretaria de Educação (SME), pretende atender mais de 100 mil estudantes do Fundamental II da rede municipal com a distribuição de 8 milhões do item de higiene, visando o combate à pobreza menstrual e evasão escolar das jovens cariocas.

“Nosso programa está bem adiantado. O que a gente quer é, basicamente, fazer distribuição em massa para todas as escolas”, afirmou o secretário Renan Ferreirinha à CNN.

Atualmente, segundo o secretário, estão sendo feitas ações de logística para a distribuição dos absorventes e algumas escolas já estão recebendo os estoques.

O programa “Livres para Estudar” tem um investimento de R$ 14 milhões anuais para a compra de absorventes, e conta com o apoio de coletivos como o Girl Up e Nós por Elas, e de órgãos como o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e a Ordem de Advogados do Brasil. A deputada Tabata Amaral também é uma das apoiadoras do projeto da secretaria.

Durante anúncio do projeto, nesta quarta-feira (13), o prefeito Eduardo Paes informou que o projeto já estava em andamento, reforçando que não teria tempo para efetuar a compra em curto prazo, após anúncio do governo federal.

“Eu fiquei muito impressionado com a não disposição do Governo Federal de implantar esse programa a nível nacional. E o secretário Ferreirinha já vinha implantando isso aqui, então eu pedi que a gente avançasse nisso o mais rápido possível. Graças a Deus a compra já tinha sido feita”

Na última quinta-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro vetou vetado a distribuição gratuita de absorventes para pessoas de baixa renda, medida prevista no Projeto de Lei 4968, de 2019, que foi aprovado pela Câmara dos Deputados e Senado Federal. No dia seguinte, Bolsonaro disse ter sido “obrigado” a recusar a PL porque o texto não dizia de onde viria a verba.

Outra medida para garantir o acesso ao item de higiene às famílias de baixa renda, é a iniciativa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que também informou vai distribuir gratuitamente absorventes para as estudantes.

De acordo com o reitor Ricardo Lodi, os kits de higiene serão distribuídos por meio da Pró-reitoria de Assistência e Políticas Estudantis, com a ajuda das unidades acadêmicas, incluindo a educação básica, graduação e pós-graduação.

“A Uerj vem desenvolvendo ações específicas para a solução de problemas que contribuam para o bem-estar da coletividade e para o desenvolvimento econômico social”, afirma o reitor Ricardo Lodi.

*Sob supervisão de Camille Couto

Mais Recentes da CNN