Após carta da CNBB, presidente da Alesp se desculpa por discurso de deputado

Carlão Pignatari disse que repudia o 'uso da palavra que vá além da crítica e que se constitua em ataques'

Membros da CNBB entregaram carta pessoalmente à presidência da Alesp nesta segunda-feira (18)
Membros da CNBB entregaram carta pessoalmente à presidência da Alesp nesta segunda-feira (18) Foto: Alesp

Rafaela Larada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Após a Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB) entregar à presidência da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), na tarde desta segunda-feira (18), uma carta cobrando punição ao deputado Frederico D´Avila (PSL), o presidente da Casa, Carlão Pignatari, se desculpou pelo discurso do parlamentar.

Em seu pronunciamento, Carlão Pignatari, em nome da Alesp, fez um pedido expresso de desculpas ao Papa Francisco e a dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, e também à CNBB e a todos os ofendidos pelas palavras do parlamentar, que “não representam a opinião da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo”.

No dia 14 de outubro, D´Avila fez diversas ofensas ao arcebispo, que no sermão do Dia de Nossa Senhora Aparecida, disse que “para ser pátria amada não pode ser pátria armada”.

Em sua fala na Alesp, o deputado do PSL fez xingamentos ao arcebispo de Aparecida, ao Papa Francisco e à CNBB.

O discurso do deputado gerou desconforto aos religiosos, que cobraram um posicionamento do presidente do Parlamento, e afirmaram que levarão o caso para a Justiça.

Pignatari, em seu pronunciamento nesta segunda, repudiou “todo e qualquer uso da palavra que vá além da crítica e que se constitua em ataques, extrapolando os limites da liberdade de expressão e da imunidade parlamentar, concedida aos representantes públicos eleitos.”

“Em nome do Parlamento paulista, eu rogo um pedido expresso de desculpas ao Papa Francisco e a dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida, a quem empregamos nossa mais incondicional solidariedade. A palavra não é arma para destruição. Ela é um dom. É construção. Todo deputado estadual tem o dever de representar o povo, ouvir as pessoas e fazer valer seu compromisso com São Paulo.”

A carta da CNBB foi entregue pessoalmente a Pignatari durante a sessão de ontem. No documento, a Confederação rejeita “fortemente as abomináveis agressões proferidas da Tribuna da Alesp pelo deputado estadual Frederico D’Avila no último dia 14 de outubro”.

“Com ódio descontrolado, o parlamentar atacou o Santo Padre o Papa Francisco, a CNBB, e particularmente o Exmo. e Revmo. Sr. Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida. Feriu e comprometeu a missão parlamentar, o que requer imediata e exemplar correção pelas instâncias competentes”, diz trecho da carta.

Mais Recentes da CNN