Bares e restaurantes em São Paulo se adaptam para reabertura na segunda

Prefeito assinou protocolo neste sábado (4) e locais se organizam para seguir novas medidas de segurança

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Bares e restaurantes já estão se preparando para reabrir a partir de segunda-feira (6), após o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinar neste sábado (4) o protocolo que determina as regras a serem seguidas para evitar aglomerações e contágio por Covid-19.

Em um dos estabelecimentos visitados pela CNN, na Zona Sul, foram feitas adaptações, como colocação de vidros nas opções de self-service para que a pessoa tenha apenas uma pequena abertura para se servir. 

Assista e leia também:

Entenda como será o retorno de bares, salões e atividades culturais em SP

‘Não era momento de abrir bares e restaurantes’, alerta microbiologista

Um tapete higienizado com cloro foi colocado para higienizar os pés, e um funcionário deve medir a temperatura e oferecer álcool em gel para as mãos. O funcionamento só está permitido até às 17h. “É um plano que permite ampliar a flexibilização, de acordo com os índices, e voltar atrás, se necessário”, disse o prefeito.

Entenda os novos protocolos

O protocolo com bares e restaurantes é um documento de nove páginas, que estabelece que os estabelecimentos devem ser desinfetados antes da reabertura e que funcionários que apresentem sintomas da doença devem fazer o teste para o coronavírus do tipo RT-PCR, tido como o mais seguro. Mas admite a presença de trabalhadores com mais de 60 anos, grupo de risco, no atendimento ao público.
A ocupação máxima deve ser de 40% da capacidade no momento. Se a cidade evoluir para a fase verde do plano de reabertura, poderão aumentar o limite para 60%.

Mesas deverão estar a ao menos dois metros de distância uma da outra. As cadeiras, a um metro de distância. Haverá um limite de seis pessoas por mesa. Eventos ou atividades que gerem aglomeração seguem proibidos. No caso dos restaurantes por quilo, os atendentes é que deverão manipular os alimentos e servir os clientes. O uso das calçadas também segue restrito, e não é permitido atender clientes em pé.

 

Mais Recentes da CNN