Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Brasil registra mais de 460 mortes por dengue em 2024

    Rio Grande do Sul decretou situação de emergência em saúde pública pela doença nesta terça-feira (12); decreto foi publicado no diário oficial do estado nesta quarta-feira (13)

    Dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e pode evoluir para quadros graves de saúde
    Dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e pode evoluir para quadros graves de saúde Banco de imagens/Pixabay

    Victor Locatelida CNN*

    O Brasil registrou 467 mortes por dengue e 1.626.707 casos prováveis da doença somente neste ano, segundo os dados do Painel de Arboviroses do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira (13). Outros 863 óbitos estão sob investigação para saber se há relação com a arbovirose.

    A porcentagem de pessoas possivelmente infectadas entre homens e mulheres corresponde a 44,5% e 55,5%, respectivamente. Com relação à faixa etária, a mais afetada pela doença é a de 20 a 29 anos, com 141.196 registros para indivíduos masculinos e 172.866 para femininos.

    Durante entrevista coletiva nesta terça-feira (12), a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente do Ministério da Saúde, Ethel Maciel, disse que o Brasil teve uma desaceleração com relação ao número dos casos prováveis de dengue.

    Mesmo com a afirmação, a secretária alertou que cada estado entrou em tempos diferentes na crise epidemiológica e também ressaltou preocupação com sorotipos da doença, sendo 4 em circulação em 2024.

    Segundo os dados da pasta, Minas Gerais segue como o estado com o maior número de casos, com 548.704 diagnósticos prováveis. Em seguida, destaca-se São Paulo (300.141), Paraná (155.113), Distrito Federal (140.057), Rio de Janeiro (124.687), Goiás (90.702) e Espírito Santo (62.330).

    O governador do Rio Grande do Sul, Ricardo Leite (PSDB), decretou emergência em saúde pública no estado pelo vírus ontem (12). O decreto foi publicado hoje na edição do Diário Oficial do Estado.

    Até o momento, Acre, Amapá, Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal, já decretaram emergência.

    (*Sob supervisão de Felipe Andrade)