Capital do Rio segue sem previsão para retomar a vacinação contra Covid-19

Secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, diz que vacinação em Paqueta prevista para domingo (25) segue mantida

Enfermeira mostra vacina contra a Covid-19 para mulher no Rio de Janeiro
Enfermeira mostra vacina contra a Covid-19 para mulher no Rio de Janeiro Foto: Mario Tama/Getty Images

Mylena Guedes e Elis Barreto*, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, participou de uma entrevista coletiva durante a manhã deste sábado (24) no Hospital Municipal Miguel Couto, na zona sul da cidade, e afirmou que a cidade permanece sem previsão de retomar a vacinação contra Covid-19.

“A gente espera receber ainda neste fim de semana mais doses. Até o momento, a gente não tem essa previsão de entrega pelo Ministério da Saúde. A gente sempre aplica todas as vacinas que a gente recebe na mesma semana. Qualquer atraso, qualquer falha, a gente não consegue manter o nosso calendário”, disse o secretário.

O Rio de Janeiro está vacinando pessoas com 35 anos. Na segunda-feira (26), seria a vez das mulheres com 34 anos. O objetivo era vacinar todas as pessoas acima dos 33 anos até o final de julho, mas devido à falta de doses o calendário pode sofrer alterações. 

“A expectativa do Rio é manter um calendario bastante acelerado e vacinar as pessoas o mais rápido possível. É necessário ter um sentimento de urgência pra vacinar. A gente sabe que cada dia salva vidas”, acrescentou Soranz.

Apesar disso, segundo o secretário, a vacinação de adolescentes prevista para acontecer neste domingo (25) em Paquetá está mantida. 

“Em Paquetá, a vacinação acontece neste domingo. Já tem as vacinas destinadas à pesquisa. São vacinas especiais da Fiocruz, que não passam pelo Programa Nacional de Imunização, já estão reservadas pra isso”, afirmou.

Vacinação suspensa 

A interrupção foi anunciada na última sexta-feira (23) como forma de garantir os estoques para a aplicação da segunda dose, que está mantida até o momento. 

Horas antes do anúncio, o prefeito Eduardo Paes fez uma publicação em uma rede social falando sobre o atraso das vacinas. “Essa semana, o Ministério da Saúde recebeu cerca de 7,5 milhões de doses de vacina e, até o presente momento, não temos notícia de quando receberemos”, escreveu Paes. 

Em nota, a Secretaria de Saúde do estado informou que recebeu nova remessa de doses da vacina da AstraZeneca, mas ainda aguarda orientação do Ministério da Saúde se elas serão para primeira ou segunda dose. 

Doses extras

O secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Alexandre Chieppe, confirmou à CNN que solicitou uma reavaliação sobre a quantidade de doses de vacina contra a Covid-19 entregues ao estado. Para Chieppe, a disseminação da variante Delta deve ser um novo fator levado em consideração, que diferencia, atualmente, o Rio de Janeiro dos outros estados do país. O secretário afirmou que não houve uma solicitação formal, apenas um pedido.

Na terça-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que estados localizados nas fronteiras do Brasil, receberiam doses extras dos imunizantes, para fazer uma espécie de “cordão sanitário”, com objetivo de evitar a entrada de variantes do novo coronavírus.

A CNN questionou o Ministrério da Saúde se o estado terá a demanda atendida e de quanto seria o percentual de acréscimos de doses, mas não obteve resposta. 

Leia a nota da secretaria: 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde (SVAPS), vem reforçando rotineiramente com as secretarias municipais de Saúde a importância de responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação, respeitando a destinação das doses para a primeira ou segunda aplicação do esquema vacinal. Essa destinação vem sinalizada por meio de Informe Técnico enviado pelo Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, aos estados. A SVAPS ressalta que a distribuição do imunizante é feita de forma proporcional e igualitária a todos os municípios. 

A SES vai distribuir 197 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca aos 92 municípios do estado neste sábado. No entanto, o PNI ainda não enviou à SES o Informe Técnico com a destinação desse lote, ou seja, se deve ser usado para primeira ou segunda aplicação. Isso acontece porque o estado do Rio de Janeiro recebe antecipadamente os lotes de vacina Oxford/AstraZeneca, em função de o fabricante, a Fiocruz, estar localizado no Rio de Janeiro. A expectativa é que esse documento seja encaminhado à SES na segunda-feira.  

Nesta quarta-feira (21.07) o município do Rio de Janeiro  recebeu: 

  • CoronavaVac 
    D1 – 26.500 doses 
    D2 – 26.500 doses 
  • Pfizer 
    D1 – 22.002 dose 
    D2 – 46.800 doses 
  • AstraZeneca 
    D1 – 30.980 doses 

Nesta sexta-feira (23.07) o município realizou a retirada de 55.890 doses de AstraZeneca para segunda aplicação. Amanhã (24) será realizada a entrega de 76. 340 doses do imunizante, ainda aguardando a definição de aplicação do MS, para o município.

 

* sob supervisão de Helena Vieira

Mais Recentes da CNN