Casos de Covid-19 em Porto Velho têm se agravado 2 vezes mais rápido

A observação é do prefeito Hildon Chaves (PSDB), que cogita influência da nova cepa do Amazonas como um dos motivos para o agravamento de casos

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Os casos de Covid-19 em Porto Velho (RO) têm se agravado duas vezes mais rápido do que nos primeiros meses da pandemia do novo coronavírus. A observação é do prefeito Hildon Chaves (PSDB), em entrevista à CNN nesta quarta-feira (27).

O colapso está nos leitos de UTI. Fazendo um comparativo com a primeira onda, os pacientes estão se agravando mais rapidamente. Antes era de 8 a 10 dias, agora em 4, 5 dias agravam. Não sabemos, não há comprovação científica, mas talvez essa nova cepa do Amazonas, até porque fazemos fronteira terrestre, tenha relação com o agravamento dos casos”, sugere.

 

Hildon Chaves (PSDB), prefeito de Porto Velho (RO) (27.jan.2021)
Hildon Chaves (PSDB), prefeito de Porto Velho (RO) (27.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN

“A situação ainda é muito preocupante. Transferimos anteontem (25) 13 pacientes para Curitiba, outros 12 a 15 devem ter sido transferidos ontem (26) e contamos ainda, caso seja necessário, com mais 50 vagas em Porto Alegre e Canoas (RS). Não são pacientes de UTI, mas um percentual deles deve evoluir para um caso mais grave que demande suporte mais intensivo”, disse. 

Ele conta o que tem sido feito para enfrentar a doença. “Hoje estamos em colapso porque muitos pacientes do interior estão vindo para a capital e pacientes do Amazonas vêm para cá. Aumentamos muito a estrutura de atendimento desde a primeira onda, mas hoje não é suficiente. Saímos de 23 leitos da prefeitura para 73. Eram 5 de UTI e agora são 21. Medidas de isolamento, toque de recolher, foram tomadas 10 dias atrás e foram renovadas hoje [dia 27]”.

(Publicado por Sinara Peixoto)

 

Mais Recentes da CNN