Chuvas de agosto não vão contribuir para os reservatórios, diz meteorologista

Especialista explica que só a partir de outubro as chuvas irão impactar significativamente as bacias hidrográficas

Renata Souza*da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

São Paulo registrou uma mudança brusca de temperatura neste fim de semana com a chegada das chuvas, que já chegam a 50% da climatologia do mês. O cenário, porém, não é suficiente para contribuir com a seca dos reservatórios, segundo o meteorologista do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) Francisco de Assis.

As chuvas que vemos agora não vão ajudar os reservatórios, porque são escassas, esparsas e o solo está muito seco. Chuvas que ajudem a recuperar o nível dos reservatórios devemos ver só a partir de outubro”, disse em entrevista à CNN.

O meteorologista explica que uma frente estacionária é a responsável pelas chuvas em São Paulo e no Paraná neste fim de semana, capaz de reverter momentaneamente o período de seca. “No mês de agosto, um mês seco, chove em torno de 70 mm, vai ter mais dias com chuva pela frente”.

De acordo com Francisco, as chuvas que vemos agora devem pegar o leste do estado e a grande São Paulo, mas seria necessário chover em outras regiões para que as bacias hidrográficas pudessem ser impactadas.

“As regiões que necessitam de chuvas mais intensas para recuperar as bacias são o Sudeste do Brasil e parte do Sul, entre Goiás, Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, porém estamos no período de estiagem nestas regiões. Até setembro, é normal pouca ou até nenhuma chuva.”

FRIO SÃO PAULO
Pedestres se protegem do frio e da chuva que atinge a região central cidade de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (28) / ESTADÃO CONTEÚDO

* (sob supervisão de Letícia Vidica).

Mais Recentes da CNN