Cidades do litoral e interior de São Paulo impedem a entrada de turistas

Outras cidades do litoral vão na contramão e começam a “relaxar” o isolamento social

Timóteo Lopes e Anthony Wells

da CNN Brasil, em São Paulo

Ouvir notícia

BAIXA CIRCULAÇÃO

NA CONTRAMÃO

ISOLAMENTO SOCIAL AUMENTA

Para evitar a propagação do novo coronavírus, várias cidades do litoral paulista vão continuar impedindo a entrada de turistas no feriado prolongado de Tiradentes. A Prefeitura de SP e o Governo recomendaram a população não viajar neste feriado e várias cidades do interior e litoral paulista também estão reforçando essa mensagem.
 
A Prefeitura de São Sebastião, por exemplo, está realizando, durante este feriado prolongado de Tiradentes, um bloqueio sanitário educativo com cerca de cem funcionários nas divisas com os municípios de Caraguatatuba e Bertioga. O objetivo é conscientizar os motoristas de carros com placas de outras cidades sobre a necessidade do isolamento social e informar as medidas básicas de prevenção à COVID-19.
 
Também está sendo realizado o monitoramento de possíveis sintomas nos passageiros, a desinfecção dos pneus com hipoclorito (desinfetante que combate o coronavírus) e a realização de breves questionários para acompanhamento da vigilância em saúde e sanitária.
 
Já a Prefeitura de Itatiba, que decretou estado de calamidade, desde março, por conta da pandemia, instalou 22 barreiras de concreto na entrada da cidade, com o objetivo de diminuir e restringir o fluxo de veículos.
 
A prefeitura adquiriu 10 termômetros infravermelhos que são utilizados durante a fiscalização em vários locais e situações. Os termômetros também serão usados nas 9 barreiras sanitárias espalhadas pela cidade. Pessoas com temperatura acima de 37,8 graus não podem entrar.
 
No final de semana, um carro com sete turistas que iriam para uma cachoeira em Mongaguá foi barrado em um bloqueio. Segundo a Prefeitura, o grupo queria praticar turismo ambiental, que no momento está proibido.
 

 
Concessionárias também estimam uma baixa circulação de carros em estradas de SP. De acordo com a assessoria da Ecovias, a média nas rodovias do Sistema Anchieta-Imigrantes, formado pelas rodovias Anchieta, dos Imigrantes, Padre Manoel da Nóbrega, dos km 270 ao km 292 (Praia Grande), e Cônego Domênico Rangoni, é de 1.000 veículos por hora.
 
Em outros feriados o pico chega a 6.000/7.000 veículos por hora, o que demonstra que as recomendações da quarentena estão sendo cumpridas. Durante a Semana Santa do ano passado, por exemplo, o pico chegou a ultrapassar a marca de 10.000 veículos por hora.
 

 
No mesmo dia em que o governador João Doria (PSDB) ampliou a quarentena até 10 de maio, aos menos seis cidades do litoral e interior de São Paulo relaxaram as medidas de isolamento.
 
A prefeitura do Guarujá, no litoral de São Paulo, publicou decreto na sexta-feira, 17, autorizando o comércio a reabrir a partir de hoje, 21. Poderão funcionar livremente, apenas com a adoção de cuidados sanitários, mercados, supermercados, padarias, revendas de autos, bancos, lojas de materiais de construção e adegas. As mudanças serão monitoradas por fiscais municipais e haverá uma avaliação diária da flexibilização.
 
Já a prefeitura de Praia Grande estuda um sistema de rodízio de pessoas para liberar o comércio. A ideia seria adotar um sistema semelhante ao rodízio de veículos na capital, permitindo a entrada de grupos de pessoas no comércio conforme o número final da cédula de identidade. Cada morador teria a possibilidade de ir às compras até duas vezes por semana, segundo o plano ainda em estudos.
 
As prefeituras de Indaiatuba e São José do Rio Preto também flexibilizaram por decreto o funcionamento do comércio. Foram liberados para funcionar hotéis, óticas, bancas de revistas e, com acesso restrito, bares, restaurantes, lavanderias e barbearias. Foi exigido o uso de máscara no interior dos estabelecimentos;
 
A quarentena foi suspensa também em Mirandópolis, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) determinou que fosse retomada. O prefeito Everton Sodario (PSL) havia pedido a revogação da quarentena estadual. Para o magistrado, se desse a liminar, colocaria em risco o interesse geral mais premente de saúde pública. Bolsonarista, Sodario informou que a reabertura do comércio é um pedido da população. Ele havia sido advertido pelo Ministério Público por se manifestar em redes sociais contra as medidas do governador João Doria (PSDB). Ao receber o documento, o prefeito alegou que sofre censura.
 

 
A taxa de isolamento social no estado de São Paulo subiu para 54%, mas o ideal, segundo o governo, é 70%. O índice anterior estava em 49%. Desde o início da semana passada, as taxas têm se mantido em cerca de 50%. O índice de isolamento no estado de São Paulo no sábado (18) subiu para 54%, 5 pontos percentuais a mais do que o registrado na sexta-feira (17), de acordo com dados divulgados pelo governo estadual na tarde de domingo (19). De acordo com o governo, o percentual é aceitável, entretanto, o ideal são os índices entre 60 e 70% para impedir o avanço da Covid-19.

Mais Recentes da CNN