Comitês estadual e municipal divergem sobre Réveillon no RJ

Secretário estadual de Saúde estuda convocar reunião conjunta de grupos após detalhes da Ômicron serem divulgados

Leandro Resendeda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Os grupos de especialistas que auxiliam o governo do estado do Rio e a prefeitura da capital tem, no momento, visões diferentes sobre a realização da festa de Réveillon na cidade.

Enquanto o primeiro comitê avalia que a chegada da variante Ômicron do coronavírus seja um alerta e que, por prudência, a tradicional queima de fogos na orla das praias cariocas deva ser cancelada, os cientistas que auxiliam a prefeitura carioca entendem que ainda não é hora de abrir mão das festas.

O entendimento de ambos, entretanto, é de que a cidade e o estado do Rio vivem seu melhor momento de enfrentamento à pandemia e que o sucesso da vacinação deve ser considerado antes da decisão por uma alternativa.

Os grupos voltam a debater o assunto nos próximos dias: o comitê estadual se reúne entre a quarta e a sexta-feira da próxima semana enquanto os especialistas que atuam junto a prefeitura se encontram no dia 15 de dezembro.

O secretário estadual de Saúde do Rio, Alexandre Chieppe, afirmou à CNN que em mais 10 dias a comunidade científica internacional terá mais conhecimento sobre a cepa, identificada primeiro em países do sul da África.

“A posição do comitê que assessora o estado é de prudência porque não se sabe ainda os efeitos que essa variante poderia gerar em grandes aglomerações na orla. Mas o conhecimento efetivo sobre ela está sendo produzido agora”, afirmou.

Sobre a divergência entre os dois grupos, Chieppe afirmou que avalia uma convocação de uma reunião conjunta caso a divergência se mantenha.

“A gente pode tentar encontrar um meio termo. Não adianta proibir tudo porque isso irá estimular as festas clandestinas. Mas existem opções, como limitar o número de bilhetes de metrô, por exemplo”, afirmou Chieppe.

Daniel Becker, membro do comitê científico da prefeitura do Rio, avalia que os índices sobre a pandemia na cidade fazem com que, neste momento, o Réveillon seja seguro.

“A Covid está sob controle na cidade. Chegamos num bom ponto, que é a baixa transmissibilidade e estamos sem casos graves”, afirmou.

Mais Recentes da CNN