Por enquanto, Ômicron não muda planos para Réveillon do Rio, diz Paes

Prefeito afirmou à CNN que decisão final sobre a realização ou cancelamento da festa deve ser tomada em conjunto com o governo do estado em até 15 dias

Dados de 3 das principais agências de viagens brasileiras indicam que Rio de Janeiro é o destino nacional mais procurado para o Réveillon
Dados de 3 das principais agências de viagens brasileiras indicam que Rio de Janeiro é o destino nacional mais procurado para o Réveillon Divulgação/Riotur (1.jan.2020)

Pedro Duranda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), disse que por enquanto a confirmação da chegada da variante Ômicron ao Brasil, e até mesmo a primeira suspeita dela na cidade, não mudam nada nos planos da prefeitura, inclusive para a realização da festa de Réveillon. “Por enquanto [a Ômicron] não [muda nada]. Você vai me perguntar amanhã, eu vou te dizer que não. E a gente vai levando assim, disse ele à CNN.

Mais cedo, o governador Cláudio Castro (PL) também afirmou que as festas de final de ano no Rio de Janeiro estão mantidas. “Nesse momento ainda não há esse risco. As secretarias têm trabalhado junto. Essa é uma análise diária. Na radiografia de hoje não dá para falar em cancelamento. Se a secretaria disser que não pode ter não terá. Se puder ter, terá”, afirmou Castro.

Questionado sobre a decisão de outros 17 prefeitos de capitais que cancelaram os festejos da virada, Paes disse que não avalia a atitude deles como equivocada, mas quer respeito sobre a postura da capital fluminense.

“Eu respeito todas as decisões como quero que respeitem as decisões aqui. Nós vamos aguardar o comitê científico, monitorar como caminha essa nova cepa, os impactos dela, e tomar as decisões de acordo com a ciência. Se a gente não puder fazer o Réveillon não será feito. Mas a gente entende que há um tempo para tomada dessa decisão e vamos seguir o nosso planejamento, a nossa organização, porque aquilo que se planeja você pode deixar de fazer, mas aquilo que não se planeja você não faz de jeito nenhum”, afirmou.

Na semana passada, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), afirmou à CNN que tomaria uma decisão em relação ao Réveillon nos quinze primeiros dias de dezembro, mas que não via motivos para cancelamento até então na situação que a cidade estava. Mesmo com a notícia da chegada da variante Ômicron, a posição foi reafirmada nessa quarta-feira (1/12). O prazo é o mesmo estimado por Paes, que afirmou ainda que está alinhado com o governo.

“Em relação ao Réveillon a gente vai estar em sintonia com o governo do estado e acho que é isso, essa primeira quinzena de dezembro. Também muito depois disso aí é ou cancelar, ou confirmar muito em cima da hora”, disse o prefeito.

Três casos da variante Ômicron já foram confirmados no estado de São Paulo nesta semana. Dois na capital paulista e um na cidade de Guarulhos, onde fica o maior aeroporto do país, que concentra os voos provenientes do sul da África.

Nesta quarta (1), o Rio de Janeiro informou que enviou para sequenciamento o resultado positivo de um exame PCR feito por uma mulher que voltou recentemente da África do Sul. Ela mora na zona Sul da cidade e cumpre isolamento domiciliar. A amostra está sendo analisada pela Fiocruz e o resultado deve sair em até 5 dias.

Mais Recentes da CNN