Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Comunidade mórmon cresce no Brasil e ganha novo templo em Brasília

    Com o estilo modernista brasileiro de meados do século XX, o monumento dialoga com a arquitetura da capital federal, construída na década de 1960

    Novo templo passa a compor a paisagem arquitetônica de Brasília
    Novo templo passa a compor a paisagem arquitetônica de Brasília Divulgação

    Leandro Magalhãesda CNN São Paulo

    Brasília ganhou um novo monumento neste domingo (17). Um templo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias passa a ser a mais nova obra arquitetônica da capital federal, projetada por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa há 63 anos.

    O edifício chama a atenção de todos que visitam a região norte do Plano Piloto. Com um projeto arquitetônico e cores em harmonia com os prédios públicos da capital, o templo chama atenção pela grandiosidade: dois mil metros quadrados em uma região que ocupa mais de dois hectares.

    O templo, o décimo da igreja no Brasil e primeiro da região Centro-Oeste, foi erguido com uma estrutura simétrica de cimento, revestido de mármore branco citilante com uma pequena torre erguida no centro.

    Na parte frontal, vitrais coloridos das janelas externas foram pintados à mão com tonalidades variadas de azul. Os espelhos d’água, algo característico de vários prédios públicos na capital, foram construídos na região do monumento com ladrilhos em tons de azul e branco que complementam os vitrais.

     

    A construção foi iniciada em 2020, durou 26 meses, e agora o templo será frequentado por cerca de 50 mil membros que residem no Distrito Federal, Minas Gerais, Tocantins, Bahia, Goiás e Mato Grosso.

    A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, popularmente conhecida como a “Igreja dos Mormons” — embora não seja um termo correto — foi fundada em 1830, possui mais de 17 milhões de membros pelo mundo e está presente em cerca de 160 países. Cada templo é tido como o lugar mais sagrado da Terra pelos seus fiéis.

    A Igreja possui centro humanitário de suprimentos que atende vários países.

    A equipe de reportagem da CNN Brasil esteve no Centro Humanitário Santos dos Últimos Dias em Salt Lake City, no estado de Utah. O centro foi estabelecido em 1991 para preparar suprimentos de caridade, como kits de higiene, limpeza, roupas, colchas e kits escolares que são enviados para o mundo inteiro para ajudar pessoas de todas as religiões e nacionalidades.

    A cada ano, 300 mil kits escolares e de higiene e três milhões e 600 mil quilos de sapatos e roupas são destinados para ajudar pessoas que sofrem com a adversidades e desastres no mundo.

    O centro humanitário também serve como um campo de treinamento para ajudar pessoas refugiadas e imigrantes a desenvolver habilidades, como aquisição de um idioma e de um emprego.

    Os fundos para projetos humanitários vêm de doações de membros da igreja no mundo.

    Comunidade mórmon no Brasil

    O Brasil tem o terceiro maior número de membros da igreja no mundo, depois dos Estados Unidos e do México. A religião possui 1,6  milhão de fiéis só no Brasil. Há 10 anos, o número de seguidores chegava a pouco mais de 800 mil. Até 2024, haverá 18 templos da igreja no País.

    Atualmente, oito templos estão em construção ou já foram anunciados pela sede da igreja localizada na cidade de Salt Lake City, em Utah, nos Estados Unidos. Próximos templos serão inaugurados em Salvador, Natal, Belo Horizonte, Santos, Teresina, Vitória, Maceió, Ribeirão Preto e em Londrina.

    Membros da igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no Brasil contribuem em projetos comunitários ao ajudar organizações locais na solução de problemas e no atendimento às necessidades da comunidade, a atenção às pessoas com deficiência física, ajuda a refugiados e a pessoas sem abrigo.

    As acões foram intensificadas sobretudo durante a pandemia de Covid-19. Hospitais brasileiros de nove estados mais o distrito federal contaram com doações e ações da comunidade mórmon nos últimos meses.

    Envio de insumos, equipamentos e melhorias nas condições hospitalares com pequenas reformas foram realizadas. Após a pandemia, a igreja somente em 2021 realizou mais de 600 ações que envolveram 37 mil voluntários em 26 estados e no Distrito Federal e doou mais de 45 milhões de reais em ajuda humanitária no Brasil.

    Materiais e equipamentos médicos foram doados para ajudar no combate à Covid-19, ajuda a famílias em situação de vulnerabilidade cuja situação econômica foi agravada pela pandemia.

    Veja também: Arquitetura moderna mudou a cara de São Paulo