Contra a Covid-19, prefeitura de SP abrigará idosos em situação de rua em hotéis

Nesta primeira fase, foram abertas 100 vagas em duas unidades no centro da capital paulista

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), visita quarto de hotel que receberá idosos em situação de rua
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), visita quarto de hotel que receberá idosos em situação de rua Foto: Divulgação/Prefeitura de SP

Guilherme Venaglia, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

A Prefeitura de São Paulo contratou 100 vagas em dois hotéis na região central da cidade para abrigar idosos em situação de rua, considerados grupo de risco para a Covid-19. Os primeiros hóspedes ingressaram nos hotéis nesta quarta-feira (8).

”Acompanhamos os primeiros moradores em situação de rua que estão vindo para os hotéis conveniados com a Prefeitura de São Paulo. São idosos que fazem parte do grupo mais vulnerável neste período de coronavírus”, disse, em nota divulgada pela prefeitura, o prefeito Bruno Covas (PSDB).

Segundo a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Giannella, a prefeitura negocia com mais dois hotéis e um hostel, e pretende anunciar em breve novas vagas. Segundo a prefeitura, os hotéis vão oferecer alimentação, limpeza e manutenção do espaço, e vão receber por hóspede e por diária.

Assista e leia também:

Bruno Covas: índices de Covid-19 em São Paulo permitem reabrir outros espaços

Governo de São Paulo autoriza volta dos jogos de futebol a partir de 22 de julho

De acordo com a administração municipal, a cidade tem 22 mil vagas de acolhimento, sendo que 1.700 foram abertas durante a pandemia da Covid-19.

“Inclusive transformamos 4 mil vagas que eram de 16 horas para vagas de 24 horas. Ou seja, pessoas que às vezes tinham que sair e voltar para a fila para poder entrar no mesmo abrigo, mas que agora podem ficar nestes espaços transformados”, disse Covas, segundo a nota.

Mais Recentes da CNN