Cresce adesão de municípios ao passaporte da vacina, aponta levantamento da CNM

Entre as cidades que adotaram o passaporte, estão as duas mais populosas do país, São Paulo e Rio de Janeiro

Aplicativo Conecte SUS, do Ministério da Saúde
Aplicativo Conecte SUS, do Ministério da Saúde Foto: Tony Winston/MS

Beatriz Puente*da CNN

No Rio

Ouvir notícia

O passaporte da vacina — conjunto de medidas que obrigam a comprovação da imunização contra a Covid-19 para acessar espaços coletivos públicos — já está presente em pelo menos 249 cidades do Brasil nas últimas semanas, segundo o levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

No relatório anterior, divulgado há cerca de um mês, 197 cidades já tinham editado algum decreto ou medida similar.

Os municípios que adotaram a restrição sanitária correspondem a cerca de 10% do total de cidades que responderam ao questionário da entidade. A pesquisa foi feita entre 20 e 23 de setembro e ouviu 2.461 gestores municipais.

O Nordeste soma a maior quantidade de municípios que implementaram a restrição sanitária, com 60 cidades. O Sudeste vem logo após, em segundo lugar, com 58 prefeituras que decretaram a obrigatoriedade. Em termos proporcionais, no entanto, é o Norte que detém a maior parcela de municípios que exigem a vacinação seja comprovada: 20%.

“O passaporte da vacinação é uma medida sanitária, de cuidado coletivo, utilizada pelos municípios com o objetivo de garantir o maior número de cobertura vacinal, assim como das pessoas que acessam as cidades, e a consequente redução na circulação do vírus. Importante destacar que nós não temos vacinação forçada no Brasil. O cidadão tem a liberdade de não vacinar. Isso não significa que não se traga a ele consequências dessa decisão”, afirma Paulo Ziulkoski, presidente da CNM.

Entre as cidades que adotaram o passaporte, estão as duas mais populosas do país, São Paulo e Rio de Janeiro. Na capital paulista, a exigência passou a ser cobrada no dia 1º de setembro para quem for a shows, congressos e jogos com público superior a 500 pessoas. Já no Rio, o decreto da prefeitura abrange mais estabelecimentos. O comprovante da vacinação começou a ser cobrado dos cariocas no último dia 15 e é necessário para entrar em academias de ginástica, cinemas, museus e estádios.

Algumas instituições de ensino superior, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também avaliam a adoção do comprovante de vacinação. As universidades e faculdades do Rio não foram, por enquanto, incluídas no decreto.

*Sob supervisão de Stéfano Salles

Mais Recentes da CNN