Desregulamentar armas custará caro, diz especialista após ataque em Araçatuba

Especialista afirma que armamentos de civis eventualmente caem nas mãos do crime organizado

Elis Francoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o professor da Fundação Getúlio Vargas e membro do Fórum Nacional de Segurança Pública, Rafael Alcadipani, afirmou que a política de desregulamentação de armas custará caro ao Brasil.

Alcadipani citou casos de armas de colecionadores que acabaram sendo utilizadas no assalto a um banco de Criciúma em novembro de 2020, com caraterísticas semelhantes ao assalto em Araçatuba na madrugada desta segunda-feira (30)

“Esse afrouxamento está facilitando a vida do crime organizado. Infelizmente, o Governo Federal atua ideologicamente para liberar as armas e para facilitar o acesso da população a armas e munição. E a arma que cai na população, em algum momento, acaba caindo no crime. Se criminosos entram em uma casa que tem um fuzil, eles rendem o proprietário da casa e rapidamente têm acesso a esse armamento. Então, a política de desregulamentação de armas vai custar caro”, afirma o professor.

Alcadipani afirmou, ainda, que o Estado é falho ao controlar armamentos, munições e até explosivos que chegam às mãos das pessoas.

“O Estado é incapaz de controlar munições, armas e explosivos. Veja a quantidade de explosivos que chegou nas mãos dos invasores de Araçatuba. O que o exército brasileiro tem feito para não estar cuidando desses explosivos como deveria?”, questiona o especialista.

Mais Recentes da CNN