Doleira Nelma Kodama é presa em Portugal, diz Polícia Federal

Ela foi presa num hotel em Lisboa pela polícia portuguesa, acompanhada da Polícia Federal brasileira

Vianey Bentesda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

Foi presa, nesta terça-feira (19), a doleira Nelma Kodama em Portugal. Ela foi presa num hotel em Lisboa pela polícia portuguesa, acompanhada da Polícia Federal (PF) brasileira.

A CNN ainda não conseguiu contato com a defesa da acusada de integrar um esquema de tráfico de drogas.

A prisão foi feita no contexto da Operação Descobrimento, deflagrada pela PF nesta terça, com mandados a serem cumpridos na Bahia, São Paulo, Mato Grosso, Rondônia, Pernambuco e Portugal.

O objetivo das autoridades é desarticular uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de cocaína.

São 43 mandados de busca e apreensão e sete de prisão preventiva nos estados brasileiros, e três de busca e apreensão e dois de prisão preventiva que estão sendo cumpridos pela polícia portuguesa, com acompanhamento de policiais federais do Brasil, nas cidades de Braga e Porto, em Portugal.

Em Cuiabá, a Polícia Federal prendeu o ex-secretário de Ciências e Tecnologia e Inovação de Mato Grosso, Nilton Borgatto. A CNN tentou contato com a defesa de Borgatto, mas ainda não obteve retorno.

Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Salvador, que decretou ainda medidas patrimoniais de apreensão, sequestro de imóveis e bloqueios de valores em contas bancárias, e pela Justiça portuguesa.

As investigações que começaram em fevereiro do ano passado quando um jato executivo de uma empresa de táxi aéreo pousou no Aeroporto Internacional de Salvador para abastecer e, após a inspeção, foram encontrados 595 quilos de cocaína escondidos na fuselagem.

A partir dessa apreensão a PF identificou a estrutura da organização nos dois países. Entre os envolvidos estão fornecedores de cocaína, mecânicos e auxiliares, transportadores e doleiros, que fazem a movimentação financeira da organização.

Durante as investigações a PF teve a colaboração da DEA (Drug Enforcement Administration), agência norte-americana de combate às drogas, da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Entorpecentes da Polícia Judiciária Portuguesa, e do Ministério Público Federal.

Mais Recentes da CNN