Elza Soares usou sua voz para falar de fome, racismo e violência

Intérprete de imensas qualidades vocais e de repertório teve carreira marcada também por luta social

Leandro Resendeda CNN

Ouvir notícia

A perda de Elza Soares é gigante para a música brasileira. E acontece no dia do padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, São Sebastião, e no mesmo dia da morte de Garrincha, que morreu em 20 de janeiro de 1983.

É uma morte com muitos simbolismos e um momento para reverenciarmos essa grande intérprete.

Elza foi descoberta num programa de calouros nos anos 1960, conduzido pelo compositor Ary Barroso. Ela tinha apenas 13 anos de idade e foi criticada pela forma como estava vestida. “De que planeta você vem?”, perguntaram. E ela respondeu: “Venho do planeta fome”. Neste dia, ela cantou uma música chamada Lama.

 

Quando ela se separou do jogador Garrincha, nos anos 1980, pensou em abandonar a carreira. Mas uma composição de Caetano Veloso, feita especialmente para ela, fez a cantora retomar sua trajetória.

Elza sempre esteve próxima dos movimentos negros, exaltou a própria negritude e suas origens. Nos últimos anos, denunciou a violência contra a mulher, da qual ela própria foi vítima.

Mais recentemente, lançou o Planeta Fome, em referência a sua história original. Elza tinha uma postura antirracista, de luta pela igualdade entre os gêneros.

Confira o comentário completo de Leandro Resende no vídeo acima.

Mais Recentes da CNN