Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em novo formato, O Grande Debate está de volta à CNN Brasil

    Sob comando de Luciana Barreto, atração estreia em 13 de abril. Caio Coppolla estará no time de perfil conservador, ao lado da advogada Samantha Meyer e do ex-deputado federal Vinicius Poit. Do lado progressista, estarão o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, a advogada Gabriela Araujo e o ex-procurador de Justiça Roberto Tardelli

    Na ordem: Roberto Tardelli, Gabriela Araujo e José Eduardo Cardozo (time progressista); Luciana Barreto (centro); Caio Coppolla, Samantha Meyer e Vinicius Poit (time conservador)
    Na ordem: Roberto Tardelli, Gabriela Araujo e José Eduardo Cardozo (time progressista); Luciana Barreto (centro); Caio Coppolla, Samantha Meyer e Vinicius Poit (time conservador) Divulgação / CNN Brasil

    Da CNN

    São Paulo

    O Grande Debate está de volta à programação da CNN Brasil. Em novo formato, o programa estreia dia 13 de abril e vai ao ar às 12h30, com apresentação e mediação da jornalista e apresentadora Luciana Barreto. Serão seis debatedores que trarão mais calor, mais opinião, mais contrapontos.

    Caio Coppolla, que esteve na primeira edição do programa, está de volta à casa. Completam o time de debatedores de perfil conservador a advogada Samantha Meyer e o ex-deputado federal do Partido Novo, Vinicius Poit.

    Do lado progressista, estão o ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a advogada Gabriela Araujo e o ex-procurador de Justiça Roberto Tardelli, do caso Suzane Richthofen.

    Os debatedores farão um rodízio ao longo da semana, de modo a haver sempre quatro deles no programa, entre presentes no estúdio e os que participam por meio do telão.

    A volta de um sucesso

    A atração, na sua origem um quadro e que agora retorna como programa, sagrou-se na estreia da CNN Brasil ao dar espaço ao embate direto entre duas personalidades de destaque em suas áreas com opiniões diametralmente opostas sob mediação de um talento da casa. “O Grande Debate” tornou conhecidos do grande público nomes de forte poder argumentativo antes restritos a pequenos grupos. Assim, chegaram ao estrelato os atuais apresentadores de TV Gabriela Prioli, Caio Coppolla e o advogado Augusto de Arruda Botelho, hoje secretário Nacional do Ministério da Justiça, no governo Lula.

    “É fundamental que as pessoas tenham o direito de colocar a sua opinião, sempre aceitando o contraditório, obviamente. Agora é importante ressaltar que sejam respeitadas a ética, a verdade e a lei, é claro! De minha parte, é desafiador e interessante mediar vozes que se opõem entre si, mas que não são binárias. Esse é o propósito do novo Grande Debate. Vamos sentar à mesa, defender, debater e saber ouvir, sempre com muito respeito”, afirma Luciana Barreto.

    Quem são os integrantes do novo “O Grande Debate”?

    Caio Coppolla – Caio de Arruda Miranda, 36 anos, paulistano, jornalista e formado em direito pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da USP. Integrante da primeira edição de O Grande Debate, ele ficou na empresa até outubro de 2021, com muito destaque como comentarista político, tendo também estrelado o quadro “Liberdade de Opinião”. Com mais de dois milhões de seguidores nas redes sociais, Caio Coppolla retorna à CNN Brasil.

    Gabriela Araujo – Advogada e professora de Direito Constitucional, Gabriela Araujo é uma das coordenadoras do Grupo Prerrogativas, coletivo de juristas, advogados e juízes de visão política de esquerda. Ela foi contratada recentemente para integrar o time fixo de comentaristas do CNN Arena.

    Gabriela é sócia-fundadora da Araujo Recchia Santos Sociedade de Advogadas e integrante da Comissão Especial de Direito Eleitoral da OAB nacional, membro efetivo da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/SP, além de ser diretora cultural e de Relações Internacionais do Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo. É também professora na graduação da Faculdade de Direito da PUC-SP, mesma universidade onde concluiu a graduação, o mestrado e o doutorado em Direito Constitucional. Tem ainda especialização na área pela Universidade de Pisa, da Itália. Lançou recentemente o livro “Mulheres na Política Brasileira: Desafios Rumo à Democracia Paritária Participativa” (Arraes Editora). Na obra, analisa as origens históricas das desigualdades de gênero na política, no Brasil e no mundo.

    José Eduardo Cardozo, 62 anos, tem ampla experiência em cargos no Poder Executivo, tendo sido ministro da Justiça nos dois governos de Dilma Rousseff (2010-2014 e 2015-2016), além de ter sido titular da Advocacia Geral da União no segundo mandato, interrompido, da presidente.

    Cardoso também foi deputado federal pelo PT (SP), além de ter atuado por mais de 30 anos como procurador do município de São Paulo. Foi ainda Secretário Municipal de Governo da cidade de São Paulo durante a administração da prefeita Luiza Erundina (1989 a 1992), então suplente, ele assumiu o cargo de vereador em 1995, tendo sido reeleito mais duas vezes, até ir para a Câmara Federal dos Deputados em 2002, onde se reelegeu novamente em 2006.

    No Congresso, foi o principal relator do projeto de lei de iniciativa popular da Ficha Limpa.

    Ele fundou o escritório de advocacia Martins Cardozo Advogados Associados, com sede em Brasília e filial no Rio de Janeiro.

    Roberto Tardelli é advogado criminalista, sócio na TG Criminalistas e integrante do Prerrô, Grupo Prerrogativas, que conta com a colaboração de juristas, juízes, advogados, professores e pesquisadores de diversas áreas do Direito, todos identificados com a linha progressistas. Ele é ex-procurador de justiça do Ministério Público de São Paulo. Em um dos episódios de maior repercussão na Justiça de SP nos anos 2000, ele esteve à frente da acusação no caso da família Richthofen. O crime alcançou grande repercussão, levando à condenação dos autores do assassinato, os irmãos Daniel e Christian Cravinhos, além de Suzana Richthofen, considerada pelos jurados também como culpada pela facilitação junto aos autores dos assassinatos.

    Samantha Meyer, advogada, doutora em direito pela PUC-SP. Ela é presidente da Academia Internacional de Direito e Economia. Também é professora do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Universidade Nove de Julho. Ela foi candidata a deputada-federal pelo PP (DF) nas últimas eleições. Ainda, é Membro do Conselho de Estudos Nacionais e Políticos da Fiesp/Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, e membro do Conselho Superior de Direito da FecomercioSP.

    Vinicius Poit foi deputado federal (2018-2022) pelo Partido Novo. Pela mesma legenda, foi candidato ao Governo do Estado de São Paulo nas eleições de 2022, tendo ficado em quarto lugar e tendo recebido aproximadamente 389 mil votos. No Congresso Nacional, em seu primeiro mandato, foi eleito coordenador da maior bancada estadual no Congresso, a paulista. Com formação em Administração de Empresas, ele tem experiência em gestão e reestruturação de Negócios, envolvendo-se com as áreas administrativa, financeira, comercial e operacional, participando de políticas de investimentos e coordenação de planos de corte de custos, análise estratégica e também negociação para a entrada de novos investidores. Poit também tem conhecimentos e networking no ecossistema de Empreendedorismo e Startups.

    Publicado por: André Rigue