Empresa de ônibus que deixar passageiro embarcar sem máscara será multada em SP

"A punição para as empresas que operam o sistema de transporte pode chegar a 3.300 reais", alerta secretário de transportes

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Empresas de transporte que permitirem a entrada de pessoas que não estejam utilizando máscara de proteção serão punidas, afirmou o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em uma entrevista à CNN nesta sexta-feira (30). “A punição para as empresas que operam o sistema de transporte pode chegar a 3.300 reais”, alertou Baldy. 

“A medida da obrigatoriedade de uso de máscaras de proteção vale para todos os modelos de transporte que são gerenciados pelo governo do Estado”. A determinação vale para passageiros do Metrô, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e dos ônibus intermunicipais administrados pelo governo do estado. 

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, também decretou a obrigatoriedade do uso de máscaras nos ônibus de transporte público municipal, além de táxis e aplicativos.

Apesar de ter sido oficialmente anunciada na coletiva de quarta-feira (29), pelo governador João Doria, o  decreto valerá somente a partir do dia 4 de maio, permitindo que as pessoas adquiram máscaras de proteção antes da sua implementação. 

Sem máscara

A pessoa que esquecer de utilizar máscara de proteção pode ser barrada pela empresa de transportes. “Não será permitida [a entrada no transporte] àqueles que não estiverem com a máscara. Não há punição direta para o cidadão, mas há punição para as empresas de ônibus”. A multa pode chegar até 3.300 reais para a empresa que permitir o acesso de passageiros sem máscara.

O decreto, no entanto, não previu a disponibilização de máscaras. De acordo com Baldy, há uma busca por parceiras com empresas a fim de adquirir e entregar máscaras para as pessoas que utilizam o transporte público.

O secretário afirmou que houve um aumento na utilização do transporte coletivo na última semana, com um acréscimo de 27% em relação à segunda-feira (20), que antecedeu o feriado de Tiradentes. Segundo ele, 2,7 milhões de pessoas utilizaram o transporte público na cidade de São Paulo na última segunda-feira (27). “Esse número é próximo à movimentação [que tivemos] no dia anterior ao início da quarentena”, alertou. 

Baldy reforçou a necessidade de se manter o isolamento social. “Neste momento, pedimos aos cidadãos, àqueles que não precisam sair de casa ou que não estejam em atividades essenciais, que observem o número de pessoas infectadas e o triste número de óbitos”, alertou. 

“Nós não suspendemos linhas para evitar movimentações de pessoa, haja vista que temos trabalhadores em atividades essenciais”, concluiu.

Mais Recentes da CNN