Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Estou com medo de fazer entregas”, diz motoboy que viralizou após desentendimento com cliente no Leblon

    Entregador filmou momento em que uma mulher se recusa a informar o código de segurança e, mesmo assim, retira o produto

    Bruno LaforéIsabelle Salemeda CNN

    em São Paulo

    Um desentendimento entre uma cliente e um entregador viralizou nas redes sociais. A confusão foi gravada pelo próprio motoboy, Breno Martins Caetano, durante a realização de uma entrega, na noite do último domingo (26), no bairro do Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro.

    Na ocasião, a moradora desceu para buscar a encomenda no hall do prédio onde mora, abriu o pacote com o pedido, mas teria se recusado a informar ao entregador um código numérico solicitado pelo aplicativo de entregas para finalização do serviço. A partir da recusa, Breno passa a gravar o atendimento com o próprio celular.

    Na gravação, é possível perceber que os ânimos se exaltam e o motoboy dispara: “você está roubando o produto”. A mulher chama um funcionário do prédio e pede que a polícia seja acionada. Na filmagem, a cliente ainda argumenta que não é obrigada a informar o código.

    A assessoria de imprensa da Polícia Militar do Rio de Janeiro diz que a corporação não atendeu a essa ocorrência, mas Breno contou à CNN que os policias estiveram no local e disseram que não poderiam intervir neste caso.

    Ainda de acordo com o motoboy, a mulher o acusou de agressão física, calúnia e invasão de propriedade. Ele nega todas as acusações e diz que imagens de câmeras de segurança do condomínio poderão comprovar sua versão.

    A Polícia Civil do Rio de Janeiro diz que a cliente, identificada como Ana Fefer, esteve na 14ª DP, no Leblon, nesta segunda (27), quando registrou a ocorrência, mas optou por não representar criminalmente contra o entregador. Ainda segundo a polícia, o fato relatado não configura infração penal.

    Breno relatou à CNN que trabalha como entregador há cerca de seis meses e, desde novembro do ano passado, está inscrito na plataforma IFood. Essa foi a primeira vez que ele se envolveu em uma confusão deste tipo durante o trabalho.

    O jovem de 18 anos é natural da Baixada Fluminense e se mudou para a capital em 2022 para trabalhar e juntar dinheiro para cursar uma universidade. Breno pretende estudar nutrição e educação física.

    “Naquele dia, desliguei o aplicativo e fui para casa. Estou com medo de fazer entregas. Aqui no Rio de Janeiro, quem tem dinheiro, tem poder. Estou trabalhando com o pé atrás, rodando por perto de casa”, disse Breno à CNN.

    O IFood esclarece que o código de validação de entrega é uma medida de segurança tanto para os clientes como para os entregadores. De acordo com a plataforma, o código deve ser passado pelos clientes ao entregador ou entregadora no momento da entrega do pedido.

    A reportagem tentou contato com Ana Fefer, mas não obteve retorno até o momento.