Estudo aponta que idosos vão representar 40% da população brasileira em 2100

Em 2010, apenas 7,3% dos brasileiros tinham 60 anos ou mais

Lucas Janoneda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que a população do Brasil vai ‘envelhecer’ de forma constante e acelerada nos próximos anos. O levantamento, divulgado nesta quarta-feira (13), aponta que 40,3% dos brasileiros serão idosos daqui a aproximadamente 90 anos.

O objetivo do estudo, que leva em consideração as projeções populacionais no período de 2010 a 2100, é auxiliar as análises de cenários macroeconômicos e previdenciários de longo prazo para o Brasil.

A pesquisa mostra que, em 2010, os idosos representavam 7,3% da população brasileira, cerca de 14 milhões de pessoas acima de 60 anos. Já em 2100, a expectativa é que o país ultrapasse a casa dos 60 milhões de idosos, o que retrata um número superior a 40% de todos os brasileiros. Ao passo que a terceira idade se torna mais representativa, o número de jovens diminui ao longo dos anos. O número de pessoas com menos de 15 anos deve cair de 24,7% para 9%.

“A população vai sofrer um envelhecimento muito grande nas próximas décadas, é um cenário irreversível. O levantamento considera cenários distintos para a realidade populacional do país e, em todos eles, é evidente o processo de envelhecimento populacional. Isso indica que, independentemente das hipóteses adotadas, a mudança da estrutura etária no país é inevitável”, afirmou a pesquisadora do estudo, Raquel Guimarães, à CNN, nesta quarta-feira (13).

Segundo Raquel Guimarães, o envelhecimento da população brasileira está diretamente relacionado a menor taxa de fecundidade entre os brasileiros nos últimos anos. Ela explica que a inserção da mulher no mercado de trabalho, o maior planejamento familiar e a maternidade tardia estão entre os fatores para o fenômeno registrado pelo Ipea. A pesquisadora também detalhou os problemas dessa tendência e a possível solução para um país com menos pessoas economicamente ativas e uma maior população idosa.

“Esse envelhecimento populacional vai afetar muito o mercado de trabalho, a previdência, o sistema de saúde. Já sabendo do movimento etário no país, o que podemos afirmar é que a principal solução para o Brasil é o investimento em educação. O ensino e a escolarização dos jovens é o ponto chave. E precisamos fazer isso enquanto ainda temos uma grande população ativa”, finaliza.

Brasil deve ter queda populacional

Com a expectativa de uma redução gradual e constante na taxa de fecundidade, o estudo do Ipea mostra também uma redução no Brasil de todas as faixas etárias. O estudo aponta que, em 2010, a população brasileira era composta por 194,7 milhões de pessoas e, em um cenário mais rígido, há expectativa de que haja, em 2100, apenas 156,4 milhões de pessoas no país.

A análise avaliou três possíveis cenários com base em uma projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – que considera hipóteses de continuidade das tendências populacionais até 2060 – além das estimativas geradas pela Organização da Nações Unidas (ONU) em 2017, que aponta as taxas de fecundidade no país.

Mais Recentes da CNN