“Eu não vou correr atrás de folião”, diz prefeito do Rio de Janeiro

Prefeito Eduardo Paes descarta desfile de blocos de rua em outra data neste ano; ele pede compreensão das pessoas sobre a decisão de proibir blocos, uma vez que o Carnaval de rua demanda muita organização

Isabelle Salemeda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, pediu a compreensão das pessoas sobre a decisão de proibir os blocos na cidade. “Eu não vou sair correndo atrás de folião. O que a gente pede é a compreensão das pessoas, né? Só faltava botar a Guarda Municipal atrás de folião. Isso não vai acontecer. A gente espera a compreensão das pessoas”, afirmou.

No carnaval oficial, em fevereiro, mesmo com a proibição, alguns blocos circularam na cidade. Durante a última semana, 130 grupos assinaram um manifesto pedindo que a folia nas ruas fosse liberada, o que não aconteceu.

“O bloco dá muito trabalho, e eu não estou reclamando desse trabalho, mas o bloco exige uma logística dos órgãos públicos que é muito mais complexa do que a da Sapucaí. Os blocos estão pela cidade inteira. Então é Guarda Municipal, é trânsito, é pensar no transtorno que causa para as pessoas, é você minimizar o impacto nas ruas da cidade. Enfim, é muito complexo para organizar direito. Então eu prefiro não correr nenhum risco”, explicou Paes, descartando a possibilidade de uma nova data para o Carnaval de rua, ao molde do que aconteceu em São Paulo.

Na próxima semana, existe uma expectativa que os blocos menores desfilem, mesmo sem uma organização por parte da prefeitura. Já os maiores, que precisam de palco, trio elétrico e patrocinadores, optaram por não se apresentar.

Faltando menos de uma semana para os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí, o trabalho nos ateliês das agremiações segue em ritmo acelerado, nos últimos detalhes.

Durante a manhã deste sábado, muitos foliões vieram buscar as fantasias para os desfiles, que acontecem sexta e sábado da próxima semana.

O prefeito conversou com os jornalistas durante a tradicional visita que faz aos barracões das escolas de samba do grupo especial antes da folia. Animado, Paes entrou em todos os barracões e foi recebido com muito samba.

“Muita saudade. Eu gosto muito de carnaval. Carnaval tem muito essa identidade do que a gente representa como cidade como país. O Carnaval mostra um povo alegre, um povo que não tem nenhum tipo de preconceito”, disse Paes.

Mais Recentes da CNN