Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    enchentes no rs

    Famílias atingidas por enchentes no RS vão receber R$ 2 mil vindos de doações ao estado

    Origem dos recursos são doações feitas para o Pix divulgado pelo governo do RS

    Bruno Torquatocolaboração para a CNN

    Belo Horizonte

    As vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul irão receber R$ 2 mil com recursos que foram captados pelo Pix “SOS Rio Grande do Sul”, divulgado pelo governo gaúcho. Para fazer o repasse, a administração estadual e o Comitê Gestor dos recursos definiram quatro principais critérios.

    Esses critérios irão levar em consideração as situações de pessoas que estejam desabrigadas ou desalojadas como consequência do evento climático ou que tenham ficado em uma dessas situações, mas que já retornaram para suas casas.

    Os outros três critérios são: inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) ou no Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF); que não sejam contempladas pelo programa Volta por Cima, do governo do RS, criado pelo Decreto 57.607, de 9 de maio de 2024; renda de até três salários-mínimos.

    De acordo com o conteúdo divulgado pelo governo do estado do Rio Grande do Sul, poderá ser feito um depósito de outro valor caso haja saldo ao fim das doações. Até às 18h deste sábado (11), foram doados R$ 93.474,00 nessa modalidade.

    A distribuição dos valores vai começar pelas áreas mais afetadas e que já tenham condições de iniciar os processos de recuperação e reconstrução. Essa avaliação será feita pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE), que é vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG).

    Já o cadastramento das pessoas será feito diretamente nos municípios por meio de uma equipe multissetorial que é composta por representantes do governo estadual e entidades parceiras. Uma plataforma digital será criada para agilizar esse processo, de acordo com o Governo do Rio Grande do Sul.

    As famílias inscritas terão as informações cruzadas com as bases de dados da Receita Federal, do CadÚnico e do INSS, entre outras.

    O governo diz que isso é para garantir a correta destinação dos recursos conforme os critérios definidos. Para o pagamento, a Caixa Econômica Federal irá disponibilizar um cartão de débito pré-pago. O depósito do valor neste cartão poderá demorar até 24 horas após a inclusão no programa.