Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    FOTOS – Masp retira cor vermelha do prédio e inicia projeto de restauração em SP

    É a primeira vez que o museu passa por restauro desde sua fundação, em 1968

    Letícia Cassianoda CNN*

    Quem passou em frente ao Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – o famoso Masp –, na Avenida Paulista, nesta segunda-feira (22), ficou surpreso com o sumiço da cor vermelha característica do prédio. O cinza tomou conta de parte das pilastras e da laje do edifício, mas, segundo a administração do museu, a mudança é apenas temporária e faz parte de um projeto de restauração do patrimônio histórico.

    As estruturas externas do museu, como os pórticos e a cobertura do vão livre, apresentam desgastes causados pela ação do tempo e pela exposição às intempéries.

    Esse vai ser o primeiro grande restauro com fins de preservação do prédio desde sua inauguração em 1968, quando foi projetado pela arquiteta modernista ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, que nomeia o edifício. A reforma está programada para ser entregue junto ao projeto de expansão, um novo edifício no quarteirão ao lado nomeado Pietro Maria Bardi, que terá 14 andares e diversas galerias.

    “É a primeira vez que essas estruturas passam por um processo que leva em consideração critérios e parâmetros de restauro e preservação do patrimônio histórico. Nós assumimos o compromisso de aplicar metodologias científicas em todas as etapas, mantendo um rigor técnico que será também aplicado durante a obra no vão livre”, explica Miriam Elwing, gerente de Projetos e Arquitetura, Masp.

    Apesar da obra estar prevista para durar vários meses, os turistas e cidadãos de São Paulo ainda poderão visitar as exposições e participar dos eventos do museu, que permanecerá aberto ao público durante todo o processo.

    Nota da Prefeitura de São Paulo:

    A Subprefeitura Sé informa que, atendendo à solicitação do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, o Vão Livre foi interditado a partir de hoje (22) para a realização de obras de manutenção.

    Até o momento, foram realizadas duas reuniões entre a Subprefeitura e representantes da feirinha para propor endereços alternativos durante o período de obras. As sugestões não foram aceitas. A administração regional aguarda indicação dos representantes para verificar a viabilidade.

    Quaisquer questionamentos sobre a obra devem ser encaminhados ao Masp.

    *Sob supervisão de André Rigue